Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Apesar de apelo de professores, governo não negocia mais

Ministérios da Educação e do Planejamento dizem que não vão analisar documento protocolado pelo sindicato dos grevistas

Os ministérios da Educação e do Planejamento emitiram nesta sexta-feira um comunicado reafirmando que não haverá reabertura de negociações com os professores das universidades federais em greve há cem dias. As pastas destacaram que um acordo já foi assinado com Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes) no início do mês. No entanto, outras entidades sindicais alegam que a Proifes representa a minoria dos docentes, o que invalidaria o acordo.

Leia também:

Professores de federais trocam aumento por reestruturação de carreira

Em meio a impasse, greve nas federais completa 3 meses

Na quinta-feira, a presidente do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), Marinalva de Oliveira, protocolou em Brasília uma contraproposta à oferta feita pelo governo. No documento, a categoria abre mão do aumento salarial, acatando o piso de 2.000 reais apresentados pelo governo federal, ficando 500 reais abaixo do valor pedido pelos professores. Em troca, pede a reestruturação da carreira docente. O Andes pede que, a cada degrau de progressão, os professores recebem aumento salarial de 4% – antes, o percentual desejado era 5%.

Apesar da contraproposta, o governo considera as negociações encerradas desde que assinou o acordo com o Proifes. “As entidades sindicais que não assinaram o acordo podem fazê-lo a qualquer momento. Entretanto, o orçamento do Ministério da Educação já foi encaminhado ao Ministério do Planejamento com a proposta negociada e está em processamento. Não há possibilidade de reabertura de negociações ou de análise de qualquer outra contraproposta que altere o acordo já assinado”, diz o governo no comunicado desta sexta-feira.

Leia também:

CGU aponta ‘sistemática de atrasos’ em obras das federais

Expansão das universidades feita pelo PT tem resultado pífio, diz FCH