Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Wall Street termina em alta apesar de indefinições europeias

A Bolsa de Nova York terminou em alta nesta quarta-feira, com as boas notícias econômicas nos Estados Unidos prevalecendo sobre a indefinição sobre as medidas em relação à crise europeia.

Segundo cifras definitivas, o Dow Jones ganhou 1,39%, a 11.869,67 pontos, e o Nasdaq subiu 0,46%, fechando aos 2.650,67 pontos.

Já o índice ampliado Standard and Poor’s 500 subiu 1,05% (12,95 pontos), a 1.242,00 pontos.

A sessão desta quarta-feira foi volátil devido às informações procedentes de Bruxelas, onde estão reunidos os chefes de Estado da Eurozona para tentar apresentar soluções à crise da dívida que assola o continente.

Entre as decisões tomadas estão um acordo sobre a recapitalização dos bancos e um consenso sobre o fortalecimento do fundo de emergência para os países em dificuldades (FEEF), mas ao mesmo tempo não foram definidas ainda as cifras para estes movimentos.

Um pontos positivo apresentado nesta quarta-feira foi a disposição de países emergentes, liderados pela China, de socorrer a Europa.

Nos EUA, as ordens de bens duráveis baixaram 0,8% em setembro em relação ao mês anterior, numa queda menor que a prevista. Excluindo transportes, houve alta de 1,7%.

No setor imobiliário, as vendas de moradias individuais novas subiram 5,3% em setembro, voltando a seu nível mais elevado desde abril.

No mercado obrigatório, cujos rendimentos evoluem em sentido contrário aos preços, o rendimento do bônus do Tesouro à 10 anos subiu para 2,203%, contra 2,128% na noite de terça-feira. Já o ganho dos títulos à 30 anos ficou em 3,224%, contra 3,144% na véspera.

Na América Latina, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) subiu 1,52% e a Bolsa de México obteve alta de 1,5%.