Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Wall Street fecha em queda, em sintonia com bolsas europeias

Wall Street fechou nesta quarta-feira com perdas, em sintonia com as bolsas europeias, devido às preocupações dos investidores com a zona do euro: o Dow Jones cedeu 0,95% e o Nasdaq, 1,46%.

Segundo dados definitivos de fechamento, o Dow Jones Industrial Average caiu 124,80 pontos, a 13.074,75 unidades, e a tecnológica Nasdaq 45,48 pontos, a 3.068,09 unidades.

O índice ampliado Standard & Poor’s 500 caiu 1,02% (-14,42 pontos) a 1,398.96 unidades.

Os três principais índices de Wall Street abriram em queda e acentuaram suas pérdas na metade do dia, em um clima negativo que contrastava com o bom rendimento da Bolsa de Nova York desde o início do ano. Antes do fechamento, a praça apagou algumas perdas.

Assim como as bolsas europeias, que tiveram queda após o fracasso de uma emissão de títulos na Espanha, “a Bolsa (de Nova York) caiu sob pressão das persistentes preocupações sobre a zona do euro e pelos temores de uma recessão” na região, comentaram os analistas do Charles Schwab.

A Espanha emitiu 2,589 bilhões de euros em títulos de três, quatro e oito anos, com uma forte alta dos rendimentos na primeira saída ao mercado desde a apresentação dos orçamentos austeros de 2012, orientados a reduzir o déficit público.

Além disso, “os operadores se viram decepcionados pelas atas do Fed (Federal Reserve, o banco central americano)”, divulgadas nesta terça-feira, explicou Peter Cardillo, da Rockwell Global Capital, em referência às poucas possibilidades de uma terceira rodada de alívio quantitativo por parte do Fed.

“Foi uma boa desculpa para a realização de lucros antes do fim de semana prolongado da Semana Santa, os dados de emprego e desemprego de sexta-feira nos Estados Unidos e o início da temporada de resultados da próxima semana”, resumiu o analista.

O mercado de títulos públicos fechou em alta. O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos retrocedeu a 2,243% contra 2,284% na terça-feira e os papéis de 30 anos para 3,380% frente a 3,410%. O rendimento dos títulos evolui no sentido oposto a seus preços.