Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Wall Street fecha em forte queda, preocupada com dívida grega

A Bolsa de Nova York fechou com fortes perdas nesta terça-feira, em um mercado preocupado dois dias antes da data limite para a reestruturação da dívida grega: o Dow Jones cedeu 1,57% e o Nasdaq, 1,36%.

Segundo os dados definitivos de fechamento, o Dow Jones Industrial Average, principal índice de Wall Street, perdeu 203,66 pontos em relação a segunda-feira, para 12.759,15 unidades, e o Nasdaq, predominantemente tecnológico, 40,16 pontos 2.910,32 unidades.

O índice ampliado Standard & Poor’s 500 cedeu 1,54% (-20,97 pontos) a 1.343,36 unidades.

O principal índice de Wall Street retrocedeu assim mais de 200 pontos, pela primeira vez desde 23 de novembro. Depois de uma abertura em queda, a bolsa ampliou suas perdas, em sintonia com as bolsas europeias, algumas das quais caíram mais de 3%.

“Pensamos que havia acabado o tema da Grécia, mas aqui vemos que ele volta ao centro das preocupações”, comentou Mace Blicksilver da Marblehead Asset Management.

Os bancos e os fundos privados detentores de títulos gregos têm como data limite a quinta-feira às 20h00 GMT (17h00 de Brasília) para aceitar ou rejeitar a troca de seus títulos, que implica a eliminação de 107 bilhões de euros sobre os 350 bilhões do total atual da dívida.

O governo grego espera uma aceitação de 75% a 90% entre os credores. Se a adesão for inferior a 75%, o Executivo já anunciou que o projeto será abandonado, e a Grécia correrá o risco de um default desordenado.

As preocupações sobre a Grécia combinadas com a desaceleração do crescimento na China, importante parceiro comercial dos Estados Unidos, e somadas às crescentes tensões entre Irã e Israel, “favorecem um movimento de venda depois de um bom rendimento do mercado” desde o início do ano, destacou Gregori Volokhine, da Meeschaert New York.

O mercado de títulos públicos fechou em alta. O rendimento dos títulos do Tesouro caíram para 1,944% contra 2,005% de segunda-feira, e o papel de 30 anos caiu de 3,139% para 3,078%. O rendimento dos títulos evolui no sentido oposto a seus preços.