Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Wall Street fecha em baixa: Dow Jones -1,10%, Nasdaq -1,55%

A Bolsa de Nova York fechou em baixa nesta quarta-feira, arrastada pela crise europeia, cujas turbulências propiciaram a alta do dólar: o Dow Jones perdeu 1,10% e o Nasdaq, 1,55%.

Segundo dados definitivos de fechamento, o Dow Jones Industrial Average cedeu 131,46 pontos, a 11.823,48 pontos e o Nasdaq, dominado pelo setor de tecnologia, 39,96 pontos, a 2.539,31 unidades.

O índice ampliado Standard & Poor’s 500 perdeu 1,13% (13,91 pontos), a 1.211,82 pontos.

“A crise europeia continua arrastando (as bolsas) para baixo, já que ainda não vimos uma solução confiável colocada em andamento”, explicou Lindsey Piegza, economista do FTN Financial.

“As pessoas acompanham a direção dos mercados europeus e do euro, e vendem seus papéis de forma agressiva”, explicou, por sua vez, Michael James, da Wedbush Securities.

O Tesouro italiano emitiu nesta quarta-feira 3 bilhões de euros de títulos com prazo de cinco anos, ou seja, o máximo previsto, mas com taxas de juros em alta, a 6,47% contra 6,29% alcançados na operação anterior, em novembro.

A economia real da Zona Euro dá ainda mostras de cansaço: a produção industrial da região recuou levemente, 0,1% em outubro, segundo dados publicados nesta quarta-feira pelo escritório europeu de estatísticas Eurostat, quando os analistas contavam com uma cifra estável.

“A preocupação pelo crescimento da Zona Euro coloca pressão nos mercados para além do Atlântico, depois (deste) indicador que mostra de forma inesperada um retrocesso da produção industrial”, afirmaram os economistas da Charles Schwab.

Nesse contexto, a queda do euro, que era negociado nesta quarta-feira a menos de 1,30 dólar, pesava fortemente nas negociações, já que os investidores refugiavam-se na moeda americana.

O mercado obrigatório fechou em alta. O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos caiu para 1,901%, contra 1,962% na noite de terça-feira, e os títulos de 30 anos passaram a 2,905% contra 2,999% no dia anterior. O rendimento dos títulos evolui no sentido oposto a seus preços.