Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Wall Street fecha em alta

Wall Street fechou em alta nesta terça-feira, impulsionada por números positivos nos Estados Unidos, China e Alemanha, apesar dos temores sobre a Europa: Dow Jones subiu 0,48% e Nasdaq, 0,64%.

Segundo dados definitivos, o Dow Jones Industrial Average avançou 60,01 pontos, a 12.482,07 unidades, e o Nasdaq ganhou 17,41 pontos, a 2.728,08. O índice ampliado Standard and Poor’s 500 subiu 0,36% ou 4,58 pontos, a 1.293,67 unidades.

Wall Street abriu em forte alta, e se manteve com ganho superior a 1% durante a maior parte do pregão, antes de limitar seu progresso na última hora.

“Há muito otimismo no mercado, mas o retrocesso observado (nas últimas operações) revela que permanecem as preocupações sobre a Europa e com os papéis financeiros”, disse Michael James, da Wedbush Securities.

“São muitas questões sobre os próximos acontecimentos na Grécia, inclusive se o setor privado vai aceitar um corte de 50%” da dívida soberana, destacou o analista sobre as discussões entre Atenas e seus credores.

Mas Wall Street recebeu com alívio a constatação de que a redução da nota das dívidas de nove países europeus, adotada pela agência Standard and Poor’s, “não deprimiu os mercados” da Europa, observou Mace Blicksilver, da Marblehead Asset Management.

Os investidores americanos também celebraram uma série de indicadores positivos na Alemanha, China e Estados Unidos.

O crescimento na China segue vigoroso, a economia desacelerou em 2011 com crescimento de 9,2%, contra 10,4% em 2010, mas a alta superou as previsões do mercado.

Na Alemanha, a confiança do setor empresarial subiu em janeiro, e o índice Empire State da região de Nova York também superou positivamente as previsões dos analistas.

No mercado obrigatório, o rendimento dos bônus do Tesouro a 10 anos retrocedeu a 1,850%, contra 1,853% na noite de sexta-feira. O papel a 30 anos fechou a 2,891%, contra 2,904%.