Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Volume de produção da OGX cai em fevereiro e ações despencam

Mesmo com a entrada em operação de um novo poço, média diária caiu para 3,8 mil barris. Entre setembro e dezembro de 2012, empresa de Eike Batista manteve média acima de 5 mil barris por dia

Por Da Redação - 11 mar 2013, 12h00

A OGX, empresa de petróleo do grupo EBX, de Eike Batista, registrou em fevereiro o seu menor volume de produção médio por poço offshore (em água), de acordo com apresentação publicada nesta segunda-feira. A média por poço foi de 3,8 mil barris de óleo equivalente por dia no mês passado.

Fevereiro foi o segundo mês de produção comercial do poço TBAZ-1HP, no Campo de Tubarão Azul. A empresa produz também, desde o ano passado, nos poços OGX-26HP e OGX-68HP, no Complexo de Waimea, também no campo de Tubarão Azul.

Entre setembro e dezembro de 2012, quando operava apenas com dois poços, a OGX manteve a média entre 5,2 e 5,1 mil barris diários por poço. Em janeiro, com a entrada em operação do TBAZ-1HP, a média por poço caiu para 4,9 mil barris por dia, vindo a cair ainda mais em fevereiro.

Leia ainda: OGX, de Eike, demite 30 funcionários

Publicidade

Eike cai 93 posições no ranking de bilionários da ‘Forbes’

Anteriormente, a OGX havia informado que o terceiro poço (TBAZ-1HP) começaria a produção com 6 mil barris diários em média, caindo para cerca de 5 mil posteriormente, o mesmo nível dos dois primeiros poços.

A produção total offshore também teve queda no volume total, passando de 13,2 mil barris diários em janeiro para 11,3 mil barris em fevereiro. Incluindo a exploração em terra, a produção total da OGX subiu de 16,4 mil boe/dia em janeiro para 16,8 mil em fevereiro. A empresa não detalhou a produção de cada um dos poços.

Os atuais níveis de produção da OGX são considerados decepcionantes por analistas e está refeltindo no valor das ações da companhia de petróleo do grupo EBX. Na segunda-feira 11, as ações da OGX despencaram 14,15% na bolsa de valores de São Paulo.

Publicidade

(com agência Reuters)

Publicidade