Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Volume de operações de crédito avança, mas bancos privados emprestam menos

Crédito contratado por pessoas físicas e jurídicas somam 53,9% do PIB, mostra BC

Por Da Redação 26 abr 2013, 11h30

O estoque total de crédito do sistema financeiro, que é a soma das operações de crédito contratadas por pessoas físicas e jurídicas, alcançou 2,427 trilhões de reais em março, segundo a nota de Política Monetária e Operações de Crédito do Banco Central, divulgada nesta sexta-feira. O número representa alta de 1,8% na comparação mensal e 16,7% em relação a março de 2012.

A fatia dos bancos públicos no total de crédito do sistema financeiro correspondeu a 48,7% em março, ou 1,181 trilhão de reais, avançando em relação aos 44% verificados um ano antes. Já as participações dos bancos privados nacionais e estrangeiros recuaram para 35,4% e 15,9%, respectivamente. Um ano antes, estavam em 38,6% e 17,3%, segundo o BC.

No segmento de pessoa física, houve aumento de 1,4%, para 1,108 trilhão de reais, enquanto para pessoa jurídica, a alta foi de 2,2%, para 1,319 trilhão de reais. Segundo a nota do BC, as duas maiores influências no avanço do crédito foram os financiamentos habitacionais e os realizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) às empresas.

Leia também:

Cresce volume de cheques sem fundo em março, diz Serasa

Continua após a publicidade

Caixa bate recorde em crédito para habitação no 1º trimestre

Para BC, bancos brasileiros mostram solidez e inadimplência deve cair

As operações do banco de fomento avançaram 1,5% no mês e 15,8% em 12 meses, para 457 bilhões de reais em março. “A evolução das operações no segmento livre foi condicionada por fatores sazonais, com aumento das concessões a pessoas jurídicas, associado à retomada gradual das atividades mercantis, observando-se moderação nas contratações de pessoas físicas”, informou a nota.

A relação crédito/PIB atingiu 53,9%, dos quais 29,3% são relativos a pessoas jurídicas e 24,6% a pessoas físicas, ante 53,3% em fevereiro e 49,3% em março de 2012.

Inadimplência – A inadimplência do sistema financeiro, que contabiliza os atrasos superiores a noventa dias, permaneceu estável em 3,6%, acumulando declínio de 0,2 ponto porcentual (p.p) em doze meses. Nas operações com pessoas físicas, o indicador manteve-se em 5,4%. Nas contratações relativas às empresas, o nível de atrasos se manteve em 2,2%.

Ainda segundo o BC, a taxa média geral de juros das operações de crédito apresentou declínio de 0,2 p.p em março, após elevação nos dois meses anteriores, situando-se em 18,5% ao ano.

Continua após a publicidade
Publicidade