Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Virgin Mobile vai iniciar operação no Brasil em 2015

Empresa do bilionário britânico Richard Branson foi autorizada pela Anatel a oferecer serviços móveis virtuais

A Virgin Mobile Brasil recebeu nesta quarta-feira autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para operar como operadora móvel virtual (MVNO) no país, informou a companhia. A expectativa da companhia é iniciar a operação no início do próximo ano.

As MVNO alugam infraestrutura de outras operadoras para oferecer serviços com a sua própria marca. A Virgin Mobile é uma subsidiária da Virgin Mobile Latin America, do grupo Virgin, fundado pelo bilionário britânico Richard Branson.

A autorização refere-se a todo território brasileiro, sendo que a empresa vai operar por meio da rede da Vivo – a empresa não tem planos de ter parceria com outra operadora brasileira. A expectativa, segundo o presidente-executivo da companhia para a América Latina, Phil Wallace, é iniciar as operações logo depois do Carnaval de 2015.

Leia também:

Brasil só terá cobertura total de 3G em 2019, reconhece ministro

Operadoras são bicampeãs de reclamações no Twitter

A Virgin Mobile Latin America está presente desde 2012 no Chile e iniciou em 2013 sua atuação na Colômbia, tendo 1 milhão de clientes latino-americanos e cerca de 20 milhões no mundo. A empresa deverá lançar operações no México ainda este ano.

A empresa anunciou recentemente uma rodada de captação de capital no valor de 86 milhões de dólares, apoiada por uma linha de crédito de 41,5 milhões de dólares. Segundo a companhia, os recursos serão utilizados no lançamento da marca no México e no Brasil.

A Virgin Mobile oferece produtos de voz e Internet móvel (3G e 4G) pré-pagos através da Internet. A companhia pretende abrir um escritório em São Paulo em meados do segundo semestre. “O Brasil é o maior país da América Latina, então era uma opção natural para nós”, disse Wallace.

Atualmente, o mercado de MVNO é operado no país por Porto Seguro, unidade do grupo segurador de mesmo nome e que em abril tinha em sua base 104,54 mil linhas ativas de um total nacional de 273,6 milhões, segundo dados da Anatel.

(Com agência Reuters)