Clique e assine a partir de 9,90/mês

Veto a crianças faz consultoria de mulheres desistir de feira do Sebrae

A entidade afirma que a recomendação para que participantes não levem menores de 14 anos segue critérios técnicos relativos a esse perfil de evento

Por Larissa Coldibelli - Atualizado em 2 abr 2018, 20h50 - Publicado em 2 abr 2018, 12h15

O contrato de expositor já estava assinado, mas a Feminaria, empresa de consultoria para mulheres empreendedoras, decidiu cancelar sua participação na Feira do Empreendedor do Sebrae-SP depois de saber que o evento não recomenda a entrada de menores de 14 anos nem acompanhados dos pais ou responsáveis. O evento acontece de 7 a 10 de abril, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

“Meu público é de mulheres e, dentro desse universo, a maioria é de mães. Não faria sentido pagar para expor em um lugar onde nosso público seria barrado”, diz a sócia Ana Bavon. A consultoria pagaria 5.100 reais apenas para ter um estande na feira.

A empresária, que havia divulgado sua participação no evento nas redes sociais, publicou um desabafo em sua página na internet intitulado “Mães empreendedoras não são bem-vindas na Feira do Empreendedor”. No post ela explica o porquê da desistência, lista as justificativas dadas a ela pelo Sebrae e questiona: “Se a maior instituição de fomento ao empreendedorismo não pode oferecer um lugar seguro para nós mulheres, quem pode?”.

Desde então, o assunto tem sido alvo de intenso debate nas redes sociais, com mensagens de apoio e críticas para os dois lados. Procurado pela reportagem, o Sebrae-SP informou em nota que “mães empreendedoras são muito bem-vindas na Feira do Empreendedor do Sebrae-SP.” “E não só na feira, mas durante todo o ano e em todas as nossas frentes de atuação.”

Continua após a publicidade

Em relação à feira, o Sebrae-SP diz que o evento “chega a receber, em dias de pico, até 40.000 pessoas”. “A recomendação de não levar menores de 14 anos, mesmo acompanhados de qualquer responsável, segue critérios técnicos relativos a esse perfil de evento.”

Ana Bavon, fundadora e diretora executiva da Feminaria Feira do Empreendedor/Divulgação

A justificativa não foi suficiente para Ana, que não pretende ir à feira nem como visitante. Ela nega, porém, estar criando polêmica em cima de uma informação que já era conhecida – sempre houve restrição à entrada de crianças no evento. “Não teve nada de positivo para a gente. Acho que o assunto viralizou porque ninguém tinha tomado uma atitude dessas até então. Espero que sirva para jogar luz sobre o fomento ao empreendedorismo feminino no Brasil”, diz.

A restrição a crianças pode ser um dificultador para a presença de empreendedoras com filhos na feira. No Brasil, as mulheres são responsáveis por 51,5% dos novos negócios no país, segundo pesquisa de 2016 que traz os dados mais recentes sobre o assunto. De acordo com o estudo, apenas Brasil e México têm taxas mais balanceadas de empreendedorismo entre homens e mulheres – em outros países, a supremacia é masculina. Entre as áreas preferidas pelas mulheres, estão os serviços domésticos (17% do total de mulheres empreendedoras); seguido do ramo de beleza e estética, com 14,3%; e o setor varejista de vestuário, com 12% das mulheres.

A Feira do Empreendedor reunirá 425 expositores em 40.000 metros quadrados, com uma programação intensa de palestras e consultorias para pequenos empresários. Em 2017, foram 141.000 visitantes nos quatro dias de evento, dos quais 49% eram mulheres. A entrada é grátis e a programação está disponível no site http://feiradoempreendedor.sebraesp.com.br/programacao.

Veja abaixo a resposta do Sebrae-SP:

Continua após a publicidade

“Mães empreendedoras são muito bem-vindas na Feira do Empreendedor do Sebrae-SP. Sempre. E não só na Feira, mas durante todo o ano e em todas as nossas frentes de atuação. Hoje são 238 locais de atendimento presenciais em todo o Estado de São Paulo, com as portas abertas para receber e orientar todas as mães que já empreendem ou têm o sonho de empreender.

Apenas em 2017, o Sebrae-SP realizou 1,2 milhão de atendimentos para mulheres, o que equivale a 50% do total. É importante notar que mais de 90% dos atendimentos são gratuitos, e os que não são têm seus custos subsidiados, dentro da missão do Sebrae-SP de fomentar o empreendedorismo para todos.

Especificamente para mulheres e mães, o Sebrae-SP tem iniciativas como encontros mensais de Mulheres Empreendedoras em parceria com a Rede Mulher Empreendedora e nos Escritórios Regionais do Sebrae-SP; Prêmio Mulher de Negócios; Programa Speed Mentoring Woman Tech, voltado para empreendedoras com projetos digitais e de tecnologia.

Além disso, o Sebrae-SP acaba de lançar, em parceria com o Ministério Público, uma cartilha sobre como o empreendedorismo feminino pode ajudar vítimas de violência doméstica a romper o vínculo de dependência econômica que, muitas vezes, as impede de denunciar o agressor.

Continua após a publicidade

Para as crianças e jovens, o Sebrae-SP leva o empreendedorismo para a sala de aula com o programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), direcionado para alunos do ensino fundamental. Na cidade de São Paulo, a Escola de Negócios Alencar Burti oferece ensino gratuito nos níveis técnico e tecnológico, por meio da Etec Sebrae e Fatec Sebrae.

A Feira do Empreendedor é uma das iniciativas do Sebrae-SP dentro desse universo. É um evento de negócios focado na capacitação, orientação e treinamento de empreendedores e potenciais empresários, que chega a receber, em dias de pico, até 40 mil pessoas. A recomendação de não levar menores de 14 anos, mesmo acompanhados de qualquer responsável, segue critérios técnicos relativos a esse perfil de evento.

A Feira do Empreendedor de 2017 recebeu 141 mil pessoas em seus quatro dias, sendo 49% mulheres. A nota de satisfação do público foi de 8,5 e a recomendação do evento ganhou nota 9,2.

É importante ressaltar também que a Feira não se esgota nos seus quatro dias. As principais palestras terão transmissão em tempo real e todo o conteúdo exclusivo dos espaços do Sebrae-SP estarão disponíveis nas nossas unidades de atendimento.”.

Publicidade