Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ventiladores somem das prateleiras e preços sobem 50%

Aumento da demanda e estoques insuficientes assustam consumidores que buscam soluções mais baratas para espantar o calor

Os consumidores que preferem uma opção mais barata e menos complexa que a instalação de um ar-condicionado para escapar do calor vão em busca de ventiladores ou climatizadores portáteis. A demanda pelos equipamentos disparou e os produtos simplesmente desapareceram do mercado. Diante da falta de estoque, o aumento dos preços foi quase que automático.

Um ventilador da marca Mondial (modelo NV-15), líder de mercado, que em 23 de dezembro de 2013 custava 53,91 reais, passou a 82,35 reais no último dia 4 – alta de 52,7%. Já um modelo mais sofisticado da marca Arno (Turbo Silencio Maxx 6), que no mesmo período do ano passado custava 105,22 reais, está sendo negociado a 153,81 reais, em média – uma alta de quase 50%.

“O calor veio sem precedentes e não estamos conseguindo acompanhar as vendas porque a procura por ventiladores está muito grande. Vendemos cerca de 300 unidades por dia”, afirma o gerente da Lojas Mel, no centro de São Paulo, Rodrigo Neves de Siqueira. “Nossa fornecedora entrega os ventiladores de manhã. Mas, às seis horas da tarde, o estoque já acabou”, diz.

Leia também:

Chuvas devem aliviar seca no Sudeste e no Centro-Oeste

Segundo Siqueira, o consumo de ventiladores impulsionou as vendas da loja, que chegaram a crescer 60% em janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado. Já os aparelhos de ar-condicionado portáteis, cujas vendas diárias não passavam de doze unidades, estão em falta na fornecedora desde 27 de janeiro. O encarregado, entretanto, lembra que, antes de esgotarem, eram vendidas em torno de dez a doze unidades do equipamento por dia.

Ventiladores: ‘preço sobe, mas não dá para não comprar’

As consumidoras Ana Neves Gomes e Diana de Almeda, de 56 anos, constataram o aumento de preços em relação ao início de 2013. “Em janeiro do ano passado, paguei 40 reais por um ventilador. Agora, comprei o mesmo modelo está saindo por 70 reais na mesma loja”, afirma Ana Maria. “Mas o calor é tanto que, mesmo assim, temos de comprar”, afirma Diana.

Na rede de lojas Ricardo Eletro, as vendas de ventiladores em janeiro cresceram 12% em relação ao mesmo período de 2013. No caso do Extra, a alta foi de 300%. “Entramos no mês de fevereiro aguardando disponibilidade nos nossos fornecedores para reposição de estoque”, afirma Carlos Komezo, diretor de marketing do e-commerce de eletrônicos Kabum.