Clique e assine a partir de 9,90/mês

Venezuela lançará seu ‘Bitcoin’ para fugir do embargo, diz Maduro

O mandatário anunciou criação de moeda virtual, que será lastreada em riquezas naturais do país, para fugir das restrições impostas pelos Estados Unidos

Por Com Reuters e EFE - Atualizado em 5 dez 2017, 14h03 - Publicado em 4 dez 2017, 10h37

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, se voltou para o mundo de moedas digitais para contornar as sanções financeiras lideradas pelos Estados Unidos ao anunciar no domingo o lançamento da criptomoeda Petro. A moeda virtual terá tecnologia semelhante ao Bitcoin.

Mas, ao contrário da moeda virtual mais popular do mundo — que não tem lastro nem controle oficiais e oscila bastante —  a versão venezuelana será respaldada por recursos naturais do país e tem como objetivo fortalecer uma economia em colapso.

O mandatário deu poucos detalhes sobre o lançamento da moeda ou como o país conseguiria tal façanha, mas ele declarou, sob aplausos, que “o século 21 chegou”. “A Venezuela criará uma criptomoeda, lastreada por reservas de petróleo, gás, ouro e diamantes”, disse Maduro em sua transmissão televisiva regular de domingo. O país é membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

O Petro, disse ele, ajudará a Venezuela a avançar em questões de soberania monetária, fazer transações financeiras e superar o bloqueio financeiro.

O anúncio da criptomoeda destaca como as sanções movidas este ano pelo governo do presidente Donald Trump estão prejudicando a capacidade da Venezuela de realizar transações através de bancos internacionais.

Blockchain

Maduro também anunciou a criação do observatório de blockchain — nome da tecnologia por detrás das criptomoedas existentes. Segundo o presidente venezuelano, órgão ficará subordinado ao Ministério de Ensino Superior, Ciência e Tecnologia e será “a base institucional, política e jurídica para a moeda virtual venezuelana”.

“Para implementar este observatório será formada uma equipe multidisciplinar de 50 pessoas (…). Propomos a formação de um equipe de especialistas nas áreas de tecnologia, economia, finanças, jurídica, monetária, midiática, entre outras”, explicou Maduro. O chefe de estado disse que ouvirá as propostas da Associação Nacional de Criptomoedas, que, segundo um de seus integrantes, acredita no desaparecimento do dinheiro fiduciário no futuro e propõe vender  petróleo através do Petro.

O Bitcoin, a moeda virtual mais famosa do mundo, foi criada em 2009 e está baseada em uma tecnologia criada por um engenheiro conhecido pelo pseudônimo Satoshi Nakamoto. Sua identidade real é desconhecida. O sistema, global e descentralizado, permite transações diretas entre usuários, sem intermediários. As transações ficam registradas numa base de dados pública, o que dá segurança ao processo.

Oposição

Os líderes da oposição criticaram o anúncio, que dizem precisar da aprovação do Congresso. Alguns duvidam que a moeda digital chegará a ver a luz do dia em meio à turbulência. A moeda física, o bolívar, está em queda livre e faltam produtos para necessidades básicas, como alimentos e remédios, no país.

Continua após a publicidade
Publicidade