Clique e assine a partir de 9,90/mês

Vendas reais de supermercados crescem 3,71%

Por Da Redação - 31 jan 2012, 11h09

Por Suzana Inhesta

São Paulo (AE) – As vendas reais nos supermercados cresceram 3,71% em 2011 na comparação com 2010, segundo divulgou há pouco a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). O resultado ficou abaixo do esperado pela entidade, que era de crescimento do faturamento real de 4% a 4,5% no período.

Somente em dezembro ante o mesmo mês de 2010, o faturamento dos supermercados cresceu 1,54%. Na relação com novembro de 2011, o aumento foi de 30,01%. Segundo a Abras, a alta de 30,01% em dezembro ante novembro já era esperada, pois o último mês do ano computa as vendas para as festas de fim de ano. Os números estão deflacionados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).”O acumulado do ano de 3,71% confirma a tendência de acomodação do mercado, com crescimento mais moderado. O resultado integra a série de cinco anos consecutivos de resultados positivos”, avalia o presidente da entidade, Sussumu Honda.

Volume

Continua após a publicidade

Já em volume, de acordo com levantamento da Nielsen, realizado a pedido da Abras, as vendas nos supermercados brasileiros tiveram alta de 1,8% em 2011, na comparação com 2010. Esse desempenho representou uma desaceleração no ritmo de crescimento em relação ao observado em igual período de 2010, quando as vendas subiram 6,7% sobre mesmo intervalo de 2009. A expansão deste ano foi puxada pela comercialização de bebidas alcoólicas, com alta de 5,7%, seguida pela cesta de perecíveis, com avanço de 4%.

Valor da cesta de produtos cresce 2,23% em dezembro

O valor da cesta AbrasMercado, formada por 35 produtos considerados de largo consumo, como alimentos, limpeza e beleza, medido pela GfK, apresentou alta de 2,23% nos preços em dezembro ante novembro, para R$ 318,64. Já na comparação com dezembro de 2010, o valor da cesta subiu 3,78%.

Os produtos com maiores altas em dezembro na comparação com novembro foram feijão (7,37%), sabonete (6,10%) e peça de carne traseira (6,02%). No ano, esses produtos tiveram alta, respectivamente, de 10,4%, 20,1% e 4,7%.

Continua após a publicidade

Já as maiores quedas em dezembro ante novembro ficaram com cebola, com recuo de 7,24%, batata, com -3,77%, tomate (-3,38%). No ano, porém, a cebola e o tomate registraram alta de 13,3% e 7,1%, respectivamente, enquanto a batata acumulou queda de 5,4%.

A alta da cesta AbrasMercado em 2011, de 3,78%, ficou abaixo do IPCA, que variouno mesmo período 6,5%. Em 2010, a variação apurada pela AbrasMercado foi de 17,40%.

Publicidade