Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Vendas da ‘Black Friday’ no Brasil dobram e chegam a R$ 271 milhões

Nos Estados Unidos, berço da tradição das liquidações após o dia de Ação de Graças, vendas chegaram a 59 bilhões de dólares

Por Da Redação 26 nov 2012, 15h45

O comércio eletrônico brasileiro faturou mais do que o esperado com a terceira edição da ‘Black Friday’ no Brasil, ao oferecer descontos de até 80% em produtos de diversos segmentos, apesar de problemas como apagão alguns dos sites participantes e maquiagem de preços. O montante para um único dia de vendas foi recorde.

Segundo levantamento da ClearSale, empresa especializada em autenticação de compras virtuais, as vendas online em 23 de novembro somaram 217 milhões de reais – mais que o dobro em relação aos 100 milhões de reais apurados um ano antes. O portal Busca Descontos, que trouxe ao Brasil o evento herdado dos norte-americanos e reúne todas as ofertas em um único site, projetava 135 milhões de reais para as 24 horas de vendas.

No Brasil, a edição deste ano da Black Friday teve mais de 300 sites participantes – mais de seis vezes o número de 2011. “A ‘Black Friday’ Brasil superou nossas expectativas, tanto em vendas como na repercussão. As lojas que souberam aproveitar a data venderam muito”, afirmou o presidente do Busca Descontos, Pedro Eugênio.

Ao todo, foram realizados 541 486 pedidos, com ticket médio de 401 reais. As categorias mais buscadas foram eletrônicos, informática, celulares, eletrodomésticos e games. A maior parte dos acessos veio da região Sudeste do país, que respondeu por 71,5%, seguida por Sul (11,2%) e Nordeste (9,9%).

Mas, apesar da disparada nas vendas, a repercussão da data não teve saldo tão favorável quanto o previsto, resultando em um cenário de queixas por parte de consumidores. Segundo o Busca Descontos, na primeira hora de abertura foram registrados mais de 75 mil acessos simultâneos – sete vezes superior ao volume visto no ano passado.

Leia também:

‘Black Friday’ exige atenção redobrada do consumidor

‘Black Friday’ deve movimentar R$ 150 milhões no Brasil

Continua após a publicidade

Os sites das principais varejistas participantes do evento sofreram lentidão causada pelo congestionamento de acessos e, em alguns casos, consumidores não conseguiram concluir as compras. A B2W – dona dos sites Submarino, Americanas.com e Shop Time – admitiu que o “surpreendente aumento de visitas causou dificuldades de compras para alguns clientes”, apesar do preparo para o alto volume de acessos.

Já a prática de maquiagem de preços – quando a empresa eleva o valor de um produto na véspera do evento para que o desconto pareça maior do que é de fato – levou o Procon-SP a notificar na sexta-feira as varejistas Extra (lojas física e virtual), Ponto Frio, Submarino, Americanas.com, Walmart, Saraiva e Fast Shop. Alegando “indícios de maquiagem nos descontos, com base em denúncias que chegaram do consumidor nos tradicionais canais de atendimento e redes sociais do órgão”, o Procon-SP deu prazo para receber respostas até 30 de novembro.

O Busca Descontos, por sua vez, disse ter retirado do ar mais de 500 ofertas maquiadas até as 17h de sexta-feira. “Os varejistas que promoveram ofertas maquiadas foram repudiados pelas críticas dos consumidores e devem se preparar mais para a próxima edição”, acrescentou Eugênio.

Estados Unidos – Nos Estados Unidos, a ‘Black Friday’ é uma das datas mais importantes para o varejo e envolve também lojas físicas, onde os consumidores fazem fila à espera da abertura das portas. Nesta edição, as vendas no varejo online nos EUA superaram 1 bilhão de dólares pela primeira vez este ano, alta de pelo menos 22% ante 2011, informou a comScore no domingo.

O evento acontece na sexta-feira seguinte ao feriado de Ação de Graças e marca o início da temporada de vendas de fim de ano, quando as varejistas aproveitam para limpar os estoques e sair do vermelho. Os americanos gastaram cerca de 59 bilhões de dólares em compras no período da chamada ‘Black Friday’, com um recorde na porcentagem de aquisições pela internet, segundo dados da Federação Nacional de Vendas no Varejo (NRF) dos EUA.

Mais de 245 milhões de americanos escolheram a popular data de descontos para ir às compras. O número de consumidores aumentou 9% em relação a 2011, e os gastos subiram 6%. Durante os quatro dias de feriado que começam com o dia de Ação de Graças, celebrado na última quinta-feira, cada americano gastou, em média 423 dólares, frente aos 398 dólares de 2011.

O número de compradores pela internet na ‘Black Friday’ (‘sexta-feira negra’) passou de 86 milhões para 89 milhões, um recorde histórico segundo os dados da NRF. Já de acordo com os cálculos da empresa de consultoria Comscore, pela primeira vez as compras na internet nas 24 horas de descontos superaram 1 bilhão de dólares.

A maratona de compras e descontos se estende a esta segunda-feira, com a chamada ‘Cyber Monday’, no qual proliferam as ofertas em portais de compras online.

(com EFE e Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)