Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Venda de unidade de resíduo da E.ON atrai pouco interesse-fontes

Por Da Redação
23 Maio 2012, 11h41

FRANKFURT, 23 Mai (Reuters) – A empresa de energia alemã atraiu pouco interesse na venda de sua unidade de geração de energia por meio de resíduos, com ofertas que dificilmente vão ultrapassar 800 milhões a 1 bilhão de euros (1 bilhão a 1,3 bilhão de dólares), disseram três pessoas com conhecimento do processo de venda.

Excesso de capacidade em usinas de queima de resíduos, preços de eletricidade caindo bruscamente e um declínio esperado na quantidade de resíduos disponíveis para a queima, já que a reciclagem está se tornando mais refinada, estão pesando nas perspectivas para a unidade, esfriando o interesse por ofertas.

Quatro potenciais compradores são esperados a submeter ofertas até 8 de junho, com o Morgan Stanley Infrastructure e o grupo sueco de private equity EQT sendo considerados os principais nomes na disputa, segundo as fontes.

A Sembcorp, de Cingapura, também ainda está na corrida, enquanto que a empresa alemã MVV está interessada somente em partes da unidade de queima de resíduos.

A E.ON, no entanto, prefere vender a unidade como um todo, disseram duas fontes, acrescentando que isso também inclui alguns ativos mais antigos que precisam de investimentos e dificilmente seriam vendidos de forma independente.

Continua após a publicidade

Fontes bancárias e do setor disseram à Reuters no mês passado que ofertas não vinculativas de 1,2 bilhão a 1,5 bilhão de euros foram submetidas, mas disseram esperar que sejam revisadas para baixo na rodada atual.

A data final original para as ofertas era 25 de maio, mas os interessados ganharam um tempo extra para conduzir o due diligence. “Eu não desconsideraria um novo adiamento”, disse uma pessoa próxima da transação.

A E.ON, a Morgan Stanley, a EQT e a MVV não quiseram comentar. A Sembcorp não estava imediatamente disponível para se pronunciar.

A Foster Wheeler, baseada nos Estados Unidos e a alemã de serviços de água e ambientais Remondis saíram da disputa, disse uma das fontes.

Continua após a publicidade

A unidade da E.ON de energia a partir de resíduos gerou receitas de 544 milhões de euros em 2011. A unidade tem 18 incineradores de resíduos na Europa -a maioria na Alemanha- com uma capacidade anual de cerca de 4 milhões de toneladas.

A venda da unidade é parte do programa de alienação de 15 bilhões de euros da E.ON para simplificar as suas atividades, enquanto o grupo luta para lidar com a decisão da Alemanha de fechar todas as usinas nucleares até 2022.

A E.ON contratou o Barclays e o Royal Bank of Scotland para coordenar o processo.

(Reportagem de Jonathan Gould, Arno Schuetze, Tom Kaeckenhoff, Isabell Witt)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.