Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Venda de imóvel usado cai 14,47% em agosto em SP

Por AE

São Paulo – As vendas de imóveis usados caíram 14,47% na capital paulista em agosto frente a julho, de acordo com pesquisa divulgada hoje pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP). Na mesma base de comparação, o preço médio do metro quadrado dos imóveis usados diminuiu 2,51%. O levantamento reuniu dados de 451 imobiliárias.

Em nota, o presidente do Creci-SP, Jose Augusto Viana Neto, ressalta que agosto foi o mês do refluxo, depois do extraordinário desempenho informado em julho. Na ocasião, as vendas cresceram 85,76% e a locação, 40,60%. Segundo Neto, essa retração já era esperada e a desaceleração geral que se observa no momento não significa que os dois mercados fecharão o ano no vermelho. O executivo lembra que nos próximos meses a economia contará com o reforço do 13º salário e bônus salariais.

Em agosto, os apartamentos representaram 67,9% dos imóveis vendidos, enquanto as casas responderam por 32,1%. As moradias com preço superior a R$ 200 mil lideraram as vendas, respondendo por 66,67% dos negócios.

A pesquisa apurou que mais da metade das vendas (51,03%) foi feita por meio de financiamento bancário. As vendas à vista representaram 40,74% do total, as feitas com pagamento parcelado pelos proprietários somaram 7,82% e os consórcios ficaram com os restantes 0,41%.

Índice de locação cai 4,89%

A locação de casas e apartamentos, por sua vez, recuou 4,89% em agosto na comparação com julho, segundo o Cresci-SP. Casas e apartamentos com aluguel mensal de até R$ 1.000,00 representaram 50,79% dos contratos assinados no período. Ao mesmo tempo, o valor médio do aluguel aumentou 0,43% em relação ao mês anterior. A maioria das locações (47,32%) teve o fiador como garantidor do pagamento em caso de inadimplência do inquilino, seguido pelo depósito de três meses do aluguel (27,97%), seguro de fiança (24,43%).

Conforme o levantamento, o aluguel que mais subiu foi o de apartamentos de um dormitório em bairros da Zona E, como Brasilândia, Campo Limpo e Cangaíba, com o valor médio avançando 34,29% em agosto, para R$ 470,00. Na ponta oposta, o aluguel que mais baixou foi o de apartamentos de quatro dormitórios situados na Zona B, onde os valores recuaram 27,05%, de R$ 6.666,67 para R$ 4.863,64.