Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Veja o que Paulo Guedes pensa para a economia oito frases

Ministro da economia defendeu Previdência, privatizações e simplificação de impostos como prioridades

Por Da redação 2 jan 2019, 19h42

Durante a cerimônia de transmissão de cargo, o ministro da economia, Paulo Guedes, utilizou de frases de efeito e trocadilhos para dizer em tom didático o que o governo de Jair Bolsonaro quer fazer na política econômica.

No discurso, o ministro elencou a reforma da Previdência como fundamental e afirmou que ela será a “saudação” ao novo Congresso. “Vamos abrir a economia, simplificar impostos, privatizar”, resumiu sobre sua gestão.

  • Caso esse plano não dê certo, o governo pretende aprovar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para desvincular e desindexar todas as receitas e despesas do Orçamento. “O bonito é isso: se der errado, pode dar certo”. 

    A fala de Guedes sobre os ajustes na economia agradaram o mercado: no primeiro pregão do novo governo, a Bolsa disparou, fechando acima de 91 mil pontos e o dólar caiu, cotado a 3,81 reais.

    O teto sem parede de sustentação cai. Temos que aprofundar as reformas que são as paredes

    sobre o teto de gastos e reforma da Previdência

    A Previdência é uma fábrica de desigualdades

    afirmou, ao citar os ganhos do legislativo e judiciário

    Quem legisla e julga tem as maiores aposentadorias e a população, as menores

    ainda sobre a Previdência

    O bonito é que se isso (a reforma) der errado, pode dar certo

    disse sobre a PEC de desvinculação de gastos

    O Brasil é pirâmide invertida, vamos colocar ela de cabeça para cima

    explicou, ao citar a criação de um imposto único

    A classe política é criticada por ter muitos privilégios e poucas atribuições

    alfinetando a atuação de parlamentares, prefeitos e governadores

    Os recursos se perderam nos grandes programas onde piratas privados, burocratas corruptos e criaturas do pântano político se associaram contra o povo brasileiro

    em crítica ao excesso de gastos públicos e corrupção

    Queremos despedalar

    sobre a política do BNDES, que pretende trazer recursos de volta a União

     

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade