Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Governo quer mapear onde sobra funcionário em órgãos públicos

Medida pode gerar economia de 193,5 milhões de reais ao governo, segundo Ministério do Planejamento

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 19 set 2018, 15h18 - Publicado em 19 set 2018, 10h37

O governo federal está desenvolvendo um sistema para identificar onde há excesso ou déficit de pessoal nos órgãos públicos, de acordo com o serviço prestado à população. A ideia é ter um “dimensionamento” real da força de trabalho.

O projeto está sendo elaborado pelo Ministério do Planejamento em parceria com a Universidade de Brasília (UnB). O “piloto” está sendo executado em cinco órgãos do Poder Executivo, mas a iniciativa já despertou interesse no Legislativo e no Judiciário.

  • A intenção do governo é implementar o modelo em toda a administração pública federal nos próximos cinco anos. Nesse período, o projeto pode gerar uma economia de 193,5 milhões de reais, segundo o Ministério do Planejamento. A ferramenta é considerada estratégica porque a folha de pagamento da União já é hoje a segunda maior despesa do Orçamento, atrás apenas dos benefícios previdenciários. Os gastos com pessoal chegarão a 325,9 bilhões de reais no ano que vem, e há cada vez menos espaço para que novos contratados substituam o número crescente de pessoas que se aposentam.

    Hoje, o governo já realiza mapeamentos sobre a distribuição de sua mão de obra, mas eles levam até dois anos para ficarem prontos. No novo sistema, o prazo é de até noventa dias.

    Continua após a publicidade
    Publicidade