Clique e assine a partir de 9,90/mês

União Europeia quer convencer Brasil e Chile a não se aproximarem da Rússia

O governo russo tem conversado com países latinos em busca de outras fontes de suprimentos desde que suspendeu negociações com Europa e EUA

Por Da Redação - 12 Aug 2014, 08h11

Depois de decretar sanções contra a Rússia, a União Europeia quer convencer Brasil e Chile a não aceitarem substituir o bloco nas exportações de produtos agrícolas para Moscou. A informação foi publicada pelo jornal Financial Times.

Leia mais:

Rússia aumentará exportações de carne do Brasil

Brasil silencia sobre culpa de Putin – e ainda pode sair ganhando

Continua após a publicidade

Depois da Europa, EUA anunciam mais sanções contra a Rússia

Moscou: EUA sofrerão ‘prejuízos reais’ por sancionar Rússia

O governo russo tem conversado com países da América Latina em busca de fontes alternativas de suprimentos (carnes e outros produtos agrícolas) desde que suspendeu as importações de alimentos da Europa e dos EUA na semana passada em resposta às sanções.

O Brasil autorizou cerca de 90 novas instalações de processamento a começarem imediatamente a exportar carne bovina, suína e de aves à Rússia. Já o Chile foi apontado como um possível beneficiário do embargo russo à importação de peixes da UE.

Continua após a publicidade

Esse entusiasmo de países como Brasil e Chile preocupa a União Europeia. “Vamos conversar com os países que poderiam substituir nossas exportações, para indicar que não desejamos que lucrem indevidamente com a situação atual”, disse um alto funcionário da UE ao Financial Times.

Outro funcionário da UE disse que as conversações seriam “políticas”, para mapear a importância de manter uma frente internacional unida em relação à Ucrânia, em vez de apontar objeções legais.

O bloco pode usar como instrumento de persuasão suas negociações com o Mercosul, iniciadas há 15 anos e estagnadas pelas divergências sobre acesso a mercados.

Publicidade