Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

UGT: Não é o momento para igualar idade mínima de mulher e homem

Para presidente do sindicato, é preciso investir em políticas públicas que reduzam a discriminação entre os gêneros

O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, criticou a proposta do governo de igualar a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres. “Não estamos no momento adequado, correto, de igualar idade mínima da mulher a do homem. A mulher recebe 30% menos e trabalha muito mais. Enquanto não tivermos políticas públicas que reduzam discriminação, eu sou favorável à diferenciação da idade mínima”, disse.

Patah afirmou ainda ser favorável a uma Previdência que unifique todos os trabalhadores, do rural aos servidores públicos, mas ressaltou que as demais condições também devem ser igualitárias.

“No caso da idade mínima, por mais que falem que os números muitas vezes não são realistas, que a expectativa ao nascer no Brasil é de 76 anos, para alguns homens em vários Estados no Brasil a expectativa não passa dos 68, 69 anos. A reforma é injusta com trabalhador pobre e nordestino, que não vai conseguir se aposentar”, disse o sindicalista.

O presidente da UGT disse ainda que o governo deveria centrar seus esforços na reforma tributária e do Estado, que seriam mais importantes do que a da Previdência.

O sindicalista também criticou o governo por, segundo ele, não saber cobrar a dívida previdenciária.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ronaldo Serna Quinto

    Que besta quadrada! A mulher vive 7 anos a mais que o homem!

    Curtir

  2. Francisco Lemos

    O Brasil nao consegue sair da idade media. Sempre sera. Terra de ninguem.

    Curtir