Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

UE diz ao Mercosul que protecionismo dificulta acordo comercial

José Manuel Durão Barroso afirma que acordo de livre comércio não tem avançado com países da região

Por Da Redação 4 set 2012, 10h19

O presidente da Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia), José Manuel Durão Barroso, assegurou nesta terça-feira que os 27 países do bloco continuam querendo conseguir um acordo de livre-comércio com os países do Mercosul, mas advertiu que as “posturas protecionistas” de alguns países do bloco sul-americano o tornam difícil.

Em discurso aos embaixadores europeus, Barroso assegurou que o objetivo de Bruxelas continua sendo fechar um acordo de associação, que inclui um acordo de livre-comércio, apesar de as negociações não terem registrado avanços nos últimos meses.

Leia mais:

Protecionismo chega aos copos da Starbucks argentina

Governo retoma o círculo vicioso e letal do protecionismo

Continua após a publicidade

Protecionismo brasileiro preocupa América Latina

“É justo dizer que as recentes posturas protecionistas de alguns membros do bloco não ajudam”, ressaltou o chefe do Executivo comunitário. Barroso acredita que da cúpula UE-América Latina que será realizada em janeiro de 2013 no Chile possa sair uma “clara mensagem contra o protecionismo e certas formas de populismo”.

O líder não citou nenhum país em sua mensagem, mas nos últimos meses as relações comerciais da UE foram especialmente tensas com a Argentina.

A Comissão Europeia decidiu na semana passada abrir uma investigação por causa de uma denúncia apresentada em julho pelo Conselho Europeu do Biodiesel, que considera que as importações de biodiesel argentino são objeto de “dumping” (seu preço na UE está abaixo das tarifas nacionais) e estão causando por isso um grande prejuízo à indústria do bloco.

Barroso se referiu também às relações bilaterais com o Brasil. Segundo ele, o acordo de cooperação entre Europa e Brasil selado em 2007 permitiu progressos, “mas ainda não alcançou todo seu potencial no que se refere à cooperação em assuntos globais”.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês