Clique e assine a partir de 8,90/mês

Transpetro será multada por vazamento de óleo em Angra dos Reis

Estimativas iniciais indicam que 560 litros de óleo vazaram durante operação de transferência entre navios na última segunda-feira

Por Da Redação - 17 mar 2015, 11h39

A Transpetro, divisão para transporte e logística de óleos e combustíveis da Petrobras, será multada por órgãos estaduais do Rio de Janeiro após o vazamento de óleo cru ocorrido na segunda-feira por volta das 5 horas, em Angra dos Reis, na Costa Verde do Rio. As estimativas iniciais indicam que 560 litros de óleo vazaram durante operação de transferência entre navios no Terminal Marítimo Maximiliano da Fonseca (Tebig), da Transpetro.

O Serviço de Operações de Emergência (Sopea) e a Superintendência Regional Baía da Ilha Grande do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) estão desde segunda acompanhando as ações de contenção, recolhimento do óleo e limpeza dos locais atingidos. Os técnicos do Inea ainda calculam o valor da multa que será aplicada à Transpetro.

Leia mais:

Novo preso da Lava Jato, Duque era o diretor mais bem pago da Petrobras

Petrobras anuncia saída do Índice Dow Jones de Sustentabilidade

Continua após a publicidade

Em nota, a companhia informou que está apurando as causas do incidente. A Transpetro diz ainda que a operação foi imediatamente interrompida, e o vazamento, contido. “Equipes de contingência da Transpetro continuam trabalhando no recolhimento do produto”, diz a empresa.

Segundo informações do Inea, o acidente aconteceu durante uma operação de transferência de óleo entre duas embarcações atracadas no píer, o Gothenburg, que trazia o óleo de uma plataforma de Macaé, e o Buena Suerte, que levaria o produto para o exterior. Um dos tanques de lastro do Gothenburg estava contaminado com óleo, que vazou ao ser enchido de água para compensar a retirada do óleo, detalhou o instituto.

Dois sobrevoos foram feitos ao longo do dia de ontem pelo órgão estadual para acompanhar o trajeto da lâmina de óleo, que alcançou o costão rochoso próximo ao terminal. “O navio foi vistoriado e, embora seja necessário aguardar o esvaziamento e limpeza dos tanques, as primeiras hipóteses indicam que o óleo dos tanques de carga pode ter vazado para o tanque de lastro”, afirmou em nota o Inea.

O instituto informou ainda que as equipes de emergência da Transpetro mobilizaram 18 embarcações próprias e quatro alugadas, 1.560 metros de barreiras de contenção, 1.900 metros de barreiras absorventes e dois recolhedores de óleo (skimmers).

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade