Clique e assine a partir de 9,90/mês

Transpetro é multada em R$ 50 mi por omitir dimensão de vazamento

Punição foi aplicada pelo Instituto Estadual do Ambiental, do Rio de Janeiro, devido a um acidente ocorrido na semana passada

Por Da Redação - 18 mar 2015, 18h37

A subsidiária de logística da Petrobras, Transpetro, foi multada em 50 milhões de reais pelo Conselho Diretor do Instituto Estadual do Ambiental (Inea), órgão ambiental do estado do Rio de Janeiro. A multa foi aplicada devido ao vazamento ocorrido na segunda-feira da semana passada, no Terminal Baía da Ilha Grande, na Costa Verde do Estado. Segundo o Inea, a Transpetro omitiu a dimensão do vazamento.

Em comunicado oficial, o órgão ambiental afirmou que, assim que foi comunicado pela empresa, “acionou suas equipes de emergência e sobrevoou a área indicada pela Transpetro”. A observação inicial foi que a quantidade de óleo vazada era pouco significativa, estimada em cerca de 560 litros. Nesta quarta-feira, durante um novo sobrevoo, no entanto, verificou-se que a “extensão da mancha é muito maior, o que leva a crer que a empresa omitiu informações ao Inea”.

Leia mais:

Lava Jato coloca em xeque investimentos da Petrobras na área ambiental

Continua após a publicidade

Transpetro será multada por vazamento de óleo em Angra dos Reis

Transpetro beneficiou reduto político de ex-presidente

Segundo informações do Inea, o acidente aconteceu durante uma operação de transferência de óleo entre duas embarcações atracadas no píer, o Gothenburg, que trazia o óleo de uma plataforma de Macaé, e o Buena Suerte, que levaria o produto para o exterior. Um dos tanques de lastro do Gothenburg estava contaminado com óleo, que vazou ao ser enchido de água para compensar a retirada do óleo, detalhou o instituto.

Em nota, a Transpetro informou que a apuração do volume derramado ainda não foi concluída. “A Transpetro não omitiu qualquer informação das autoridades competentes, que acompanham desde o início os trabalhos de contenção e remoção. A companhia esclarece ainda que em nenhum momento transmitiu a esses órgãos informações sobre o volume derramado, pois a apuração ainda não foi concluída”, diz o comunicado.

Continua após a publicidade

A subsidiária da Petrobras informa também que instaurou uma comissão interna para apurar as causas do acidente e que está utilizando embarcações, barreiras de contenção e absorventes para recolher o óleo vazado. Inicialmente, a empresa havia estimado em 560 litros o vazamento do óleo, ocorrido durante o transporte entre duas embarcações lotadas no Terminal de Angra dos Reis (RJ).

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade