Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Transações correntes do Japão têm pior resultado em 15 anos

Por Da Redação 8 fev 2012, 08h35

TÓQUIO, 8 Fev (Reuters) – O superávit em conta corrente do Japão registrou forte queda em 2011, para o menor nível em 15 anos, e, embora por enquanto os investimentos externos esteja cobrindo uma posição comercial em declínio, há crescentes dúvidas sobre por quanto tempo Tóquio será capaz de financiar sua enorme dívida pública domesticamente.

As transações correntes, uma medida ampla de comércio e outros fluxos, registrou superávit de 9,6289 trilhões de ienes (125 bilhões de dólares) em 2011, recuo de 44 por cento na comparação com o ano anterior -a maior queda já registrada.

O declínio foi sinalizado por dados divulgados em janeiro mostrando que o Japão teve no ano passado seu primeiro déficit comercial desde 1980, após o devastador terremoto em março passado prejudicar as exportações e aumentar a dependência de importações de combustíveis devido aos fechamentos de usinas nucleares.

Mas o maciço investimento estrangeiro de Tóquio gerou uma forte renda de 14 trilhões de ienes em 2011, produzindo um superávit externo equivalente a cerca de 2 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) nominal.

“É difícil acreditar que o Japão se tornará um país deficitário em conta corrente no médio prazo”, afirmou o economista sênior da Mitsubishi UFJ Morgan Stanley Securities no Japão, Tatsushi Shikano.

Em dezembro, o superávit da conta corrente tombou 75 por cento em relação ao ano anterior, na décima queda mensal seguida e que ficou próxima da mediana das projeções do mercado, segundo mostraram dados do Ministério das Finanças.

O superávit de dezembro ficou em 303,5 bilhões de ienes (3,95 bilhões de dólares), ante uma estimativa de 336,9 bilhões de ienes.

(Reportagem de Rie Ishiguro)

Continua após a publicidade
Publicidade