Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Toyota retoma planos congelados há 3 anos de abrir novas fábricas

Em entrevista à agência 'Reuters', executivos afirmam que montadora planeja abrir duas unidades de produção na China e uma no México

Após uma pausa de três anos, a montadora japonesa Toyota deve retomar a construção de novas fábricas. Em entrevista à agência Reuters, quatro executivos afirmaram que a companhia já concluiu estudos iniciais para viabilizar a abertura de duas novas unidades de produção na China e outra no México.

Uma sinalização nesse sentido foi dada na segunda-feira por Jim Lentz, chefe de operações americanas da Toyota. Segundo ele, após uma interrupção temporária em novos investimentos em capacidade, a paralisação havia terminado. No Salão do Automóvel de Detroit, o executivo não quis comentar, no entanto, detalhes dos planos voltados ao México ou à China.

Segundo as fontes, a Toyota avalia a construção de duas fábricas de montagem na China, uma na cidade de Changchun, no Nordeste do país, e outra na cidade de Guangzhou, no Sul, onde a empresa já produz carros. No México, a Toyota está buscando um local para uma fábrica de automóveis de passageiros em torno do estado central de Guanajuato.

“A única coisa que estamos esperando é um sinal verde final de cima”, disse um dos executivos que é gerente sênior na China. A situação é mais ou menos a mesma no México, afirmou a fonte.

Leia mais:

Toyota anuncia recall de 362 mil veículos no mundo

Toyota e GM anunciam recalls no Brasil e no mundo

Mercado – A estratégia de expansão da Toyota, maior montadora do mundo, deve pressionar suas rivais, incluindo a General Motors e Volkswagen, em um mercado automotivo global ainda sobrecarregado pelo excesso de capacidade. Logo após a crise financeira, as grandes montadoras foram cautelosas no incremento de capacidade de produção. Agora, com a demanda nos Estados Unidos de volta a níveis pré-crise e o mercado de automóveis da China em crescimento, ainda que mais lento, as montadoras estão retomando planos de expansão.

(Com agência Reuters)