Clique e assine a partir de 9,90/mês

Tesouro dos EUA teme pelo fim da capacidade de ‘pagar suas contas’

Secretário do Tesouro afirmou que recursos se esgotarão em 17 de outubro, quando o país terá apenas cerca de 30 bilhões de dólares em caixa

Por Da Redação - 25 set 2013, 20h23

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Jack Lew, alertou o Congresso nesta quarta-feira que o país vai esgotar a capacidade de se financiar para honrar com os compromissos do governo até, no máximo, 17 de outubro, data em que o país terá apenas cerca de 30 bilhões de dólares nos cofres.

A nova estimativa é uma pressão adicional para os parlamentares, que tentam chegar a dois acordos sobre a política fiscal: o primeiro deles é de elevar o teto da dívida do país de 16,7 trilhões de dólares, e o segundo é um plano emergencial de gastos para manter os financiamentos do governo para além de 1º de outubro, quando começa o novo ano fiscal no país. “Se o governo acabar se tornando incapaz de pagar todas as suas contas, os resultados podem ser catastróficos”, disse Lew em carta aos líderes do Congresso.

A Câmara dos Deputados, controlada pelos republicanos e que já usou as negociações sobre o teto da dívida como barganha extrair concessões fiscais dos democratas em 2011, está determinada a desmontar a lei de saúde de Obama – conhecida como Obamacare – em troca de voto favorável ao aumento do limite da dívida.

Leia também:

Continua após a publicidade

Impasse orçamentário volta a ameaçar contas públicas dos EUA

Sem aumento do teto da dívida, EUA serão ‘caloteiros’, diz Obama

Líderes republicanos da Câmara afirmaram que ainda não há decisão sobre o que pode haver no projeto de aumento do limite da dívida que pode ir ao plenário da Câmara já na sexta-feira. Enquanto isso, o presidente Barack Obama afirmou que não vai negociar com os republicanos sobre o aumento da capacidade de endividamento.

Um porta-voz do presidente da Câmara, o republicano John Boehner, disse que o alerta de Lew é “outro lembrete de que precisamos trabalhar juntos logo sobre um projeto que aumenta o limite da dívida e lida com as causas da dívida, cortando os gastos de Washington e melhorando o crescimento econômico”. “Isso deveria lembrar o presidente Obama que recusar-se a negociar com o Congresso simplesmente não é uma opção”, afirmou o porta-voz de Boehner, Michael Steel.

Continua após a publicidade

O governo tem se aproximado do teto da dívida desde maio, mas vem evitando dar calote em qualquer de suas obrigações ao adotar medidas emergenciais, como a suspensão de investimentos em fundos de pensão para funcionários públicos.

Estimativas – Anteriormente, o Tesouro dos EUA havia informado que os recursos de gerenciamento financeiro estariam esgotados por volta de meados de outubro, data na qual o Tesouro esperava ter 50 bilhões de dólares em recursos disponíveis. Na carta desta quarta-feira, Lew disse que a estimativa atualizada reflete novas informações sobre as receitas tributárias trimestrais e as atividades de determinados fundos gestores de ativos do governo.

(com agência Reuters)

Publicidade