Clique e assine a partir de 9,90/mês

Tesla sofre novo abalo com vídeo de Musk fumando maconha

Outra razão para as ações da companhia terem sofrido a maior queda em dois anos foi a saída do gerente de contas depois de um mês na montadora

Por Reuters - Atualizado em 7 set 2018, 15h39 - Publicado em 7 set 2018, 15h04

As ações da Tesla sofreram sua maior queda em dois anos nesta sexta-feira, 7, depois da saída de seu gerente de contas, após um mês de empresa, e pelas preocupações crescentes dos investidores com o comportamento do executivo-chefe, Elon Musk, que fumou maconha durante uma transmissão pela internet.

Os investidores da montadora de veículos elétricos estão tensos depois de um agosto tumultuado. Musk propôs e depois recuou abruptamente de um acordo de privatização. A Tesla disse que seu gerente de contas, Dave Morton, renunciou por estar incomodado com a atenção pública e com o andamento do seu trabalho.

Morton, cuja saída ocorre depois de a Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) iniciar um inquérito sobre o plano abortado de Musk, engrossa uma lista de executivos que deixaram a Tesla recentemente.

A Bloomberg também noticiou nesta sexta-feira que o gerente de recursos humanos, Gaby Toledano, não voltará de uma licença depois de pouco mais de um ano no cargo.

Continua após a publicidade

Mesmo antes de Musk surpreender ao anunciar no Twitter no dia 7 de agosto que tinha um financiamento “garantido” para um acordo de privatização, a Tesla já estava sendo questionada por investidores e analistas e no momento em que se empenha para atingir suas metas de produção e diminuir seus gastos.

Morton, que entrou na Tesla em 6 de agosto, foi citado em um documento da empresa nesta sexta-feira no qual disse que acredita “muito” na empresa e que não teve desentendimentos com sua liderança a respeito de seu relatório financeiro.

Publicidade