Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tendência é terceirizar manutenção de aeronaves

Por Silvana Mautone

São Paulo – A tendência de terceirização dos serviços de manutenção no setor aeronáutico é crescente. A afirmação foi feita nesta quarta-feira por Rogério Watanabe, gerente comercial da TAM MRO, unidade de negócios da TAM que presta serviços de manutenção e reparos para a própria TAM e também para outras empresas. “A tendência de é que as companhias aéreas foquem no seu principal negócio, que é o transporte de passageiros, e que os serviços de manutenção sejam feitos por empresas especializadas”, disse o executivo durante apresentação no seminário Latin American Aviation Supply & Services (Laass), realizado em São Paulo.

De acordo com pesquisa apresentada por ele, referente ao mercado internacional, 75% da manutenção de motores de aviões era feita de forma terceirizada em 2008 e esse porcentual deve chegar a 85% em 2019. Com relação à manutenção de componentes aeronáuticos, área em que o TAM MRO atua, 73% da manutenção era terceirizada em 2008 e deve atingir 89% em 2019. Os dados são da consultoria ICF SH&E.

Atualmente, 12% dos serviços realizados pela TAM MRO são feitos para terceiros e Watanabe acredita que esse porcentual pode chegar a 25% por volta de 2020. Recentemente, a TAM MRO recebeu certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para fazer manutenção em aviões da Embraer. “A TAM nunca operou aviões da Embraer. Essa certificação é uma prova de que estamos interessados em ampliar os serviços prestados a terceiros”, disse Watanabe.

No ano passado, a TAM transformou a TAM MRO numa unidade de negócios própria. A companhia acredita que seu centro de manutenção tem potencial de futuramente se tornar uma empresa independente, a exemplo do que ocorreu com o seu programa de milhagem, que deu origem à Multiplus, empresa de capital aberto que desde fevereiro de 2010 tem ações negociadas na BM&FBovespa.

Segundo Watanabe, as despesas com manutenção representam entre 7% e 14% das despesas totais das companhias aéreas. A manutenção dos motores é a mais cara e responde por 36% das despesas totais com manutenção. Em segundo lugar, aparece a manutenção de componentes, com 23%.

Inicialmente, a TAM realizava os serviços de manutenção nos seus hangares no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Devido à limitação de espaço, em 2001 foi inaugurado o Centro Tecnológico TAM (TAM MRO) em São Carlos, no interior de São Paulo, que hoje conta com cerca de 1.300 funcionários diretos.