Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Telefónica prepara oferta conjunta pela TIM Brasil, segundo jornal

A Telecom Italia, controladora da TIM no Brasil, disse desconhecer qualquer oferta

A Telefónica está trabalhando em uma oferta conjunta com a Amercia Movil (que controla a Claro) e a Oi para assumir a TIM Participações, a unidade local da Telecom Itália, também conhecida como TIM Brasil, disse o jornal italiano Il Sole 24 Ore nesta sexta-feira”.

O órgão antitruste do Brasil, o Cade, advertiu em dezembro o grupo de telecomunicações espanhol que venda sua participação na TIM Brasil ou busque um novo parceiro para o seu negócio de telefonia móvel Vivo.

Leia também:

Investidor da Telecom Italia é contra venda da TIM Brasil

Cade multa Telefonica em R$ 15 mi por compra de ações da controladora da TIM

O jornal informa que a Telefónica, que em parte é dona da TIM Brasil por meio de seus 15% de participação na Telecom Italia, busca fazer um investimento com os seus dois principais rivais no mercado móvel brasileiro para comprar a unidade e separá-la. Os dois rivais são a America Movil, de Carlos Slim, dono da operadora móvel Claro, e a brasileira Oi.

Ainda de acordo com o jornal, o banco de investimentos BTG Pactual trabalha no negócio e que a oferta pela TIM Brasil poderia ocorrer antes do fim do mês. O jornal cita que o conselho da Telefónica se reunirá no início da próxima semana para discutir o assunto.

Em dezembro, fontes disseram à Reuters que a Telefónica tinha 18 meses para reduzir o controle no mercado de telefonia móvel brasileiro, dando-lhe tempo para prosseguir com a sua opção preferida: vender a TIM da Telecom Italia entre meados de 2014 e meados de 2015.

Leia ainda:

Claro é a única a descumprir metas de telefonia móvel

Telecom Itália vende Telecom Argentina por $960 milhões

Companhia – Após a veiculação da reportagem, a Telecom Italia afirmou desconhecer qualquer oferta pela sua unidade TIM Brasil. “A Telecom Italia (…), mais uma vez, declara que a empresa brasileira é um ativo estratégico”, disse em comunicado.

(com agência Reuters)