Clique e assine com até 92% de desconto

Telecom Itália vende Telecom Argentina por $960 milhões

Companhia aceitou oferta do grupo Fintech. Telefónica descartou fusão com o grupo italiano

Por Da Redação 14 nov 2013, 19h35

A Telecom Itália, na última quinta-feira, tomou a decisão de vender ao fundo de investimentos Fintech o conjunto de sua participação na Telecom Argentina, enquanto seu principal acionista, a espanhola Telefónica, descartou a fusão com o grupo italiano. “A Telecom Itália aceitou a oferta do grupo Fintech de comprar sua parte do controle na Telecom Argentina, nas mãos de suas filiais Telecom Itália International, Sofora Telecomunicaciones, Nortel Inversora e Tierra Argentea por um total de 960 milhões de dólares”, informou a companhia em comunicado.

Na semana passada, a Telecom Itália anunciou que recebeu uma proposta de compra, sem dizer que se tratava da Fintech. Este fundo, controlado pelo mexicano David Martínez, tem a intenção de lançar “uma oferta de compra das ações da Nortel e da Telecom Argentina” que não estão nas mãos da Telecom Italia, informou o grupo.

O anúncio foi feito em um momento em que a estratégia da Telecom Itália e o papel que desempenha na Telefónica – que possui indiretamente 15% de seu capital – são cada vez mais questionados na Itália e entre alguns acionistas do grupo.

As acusações lançadas por eles levaram a autoridade financeira e a autoridade de controle da Bolsa de Milão (Consob) a efetuar nesta quarta-feira uma inspeção da sede de Milão da Telecom Itália em busca de informações sobre a venda da Telecom Argentina e sobre um empréstimo conversível de 1,3 bilhão de euros emitido na semana passada. A Telecom Itália reagiu à inspeção afirmando “ter atuado em respeito à lei”.

Leia ainda:

Telefónica vende unidade tcheca para focar em Itália e Brasil

Presidente da Telecom Italia renuncia

O Ministério Público de Roma abriu no mês passado uma investigação sobre a operação conduzida em setembro pela Telefónica para aumentar seu capital na Telecom Itália, ampliando sua participação na Telco, que possui 22,4% da Telecom Itália. O presidente da Telefónica, Cesar Alierta, quis, contudo, transmitir uma mensagem de tranquilidade em uma entrevista à edição desta quinta-feira do jornal Il Sole 24 Ore. Segundo ele, a Telefónica não exercerá a opção que tem de aumentar sua participação até 100% na holding Telco e também não prevê se fundir com a Telecom Itália. “A estrutura dos novos acordos é totalmente clara: a Telefónica não pode aumentar (sua participação) a mais de 49% da Telco”, disse.

Continua após a publicidade

“Não temos a intenção de exercer a opção” que permitiria chegar aos 100% a partir de janeiro, segundo um acordo feito em setembro com os demais acionistas da Telco, os grupos italianos Intesa Sanpaolo, Mediobanca e Generali. Com este acordo, a Telefónica aumentou sua participação na Telco a 66%, apesar de manter seus direitos de voto em 46,2% e fez uma opção para subir a 100% em janeiro.

Alierta acrescenta que “não é necessária uma fusão Telefónica-Telecom Itália. Não está no programa”. Ele também excluiu uma fusão de suas respectivas filiais brasileiras, Vivo e Tim Brasil. O presidente da Telefónica declarou que espera que o plano estratégico de 4 bilhões de euros apresentado na semana passada pela Telecom Itália, que inclui a venda de sua participação na Telecom Argentina, permita evitar uma próxima degradação da nota do grupo pela agência Standard and Poor’s. “Quatro bilhões de euros é uma grande quantia” e o plano é “espetacular”, opinou Alierta.

Leia também:

Conselheiros independentes da Telecom Italia se opõem à venda de ativos

Telefónica torna-se sócia majoritária da controladora da TIM

(com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade