Clique e assine com 88% de desconto

Taxa sobre transações financeiras não entrará em vigor antes de 2014, diz França

Taxa foi aprovada na terça-feira durante reunião dos ministros da Finanças da zona do euro e é inédita no bloco

Por Da Redação - 23 jan 2013, 09h52

A taxa sobre as transações financeiras (TTF), que na terça-feira recebeu o aval da União Europeia (UE) para que seja aplicada por 11 Estados membros, não será implementada até o fim de 2014, indicou nesta quarta-feira o ministro francês de Economia e Finanças, Pierre Moscovici.

“São necessários, sem dúvida, dois anos de modo que a partir de 2015 (poderá ser aplicada), a menos que outros Estados decidam fazer as coisas de maneira unilateral”, disse Moscovici à rede de televisão BFMTV. Na terça-feira, 11 países da UE, entre eles a Espanha, obtiveram o aval dos demais parceiros do bloco para taxar as transações financeiras, uma medida ambiciosa para frear a especulação e evitar uma nova crise do setor.

A taxação destas operações contribuirá para reduzir as especulações financeiras e estabilizar os mercados, argumentam os defensores da ideia impulsionada sobretudo pela França e Alemanha. Além disso, o setor financeiro terminará de alguma maneira pagando – ainda que minimamente – pelas convulsões que provocou na economia mundial.

Agora só faz falta “um texto prático e rápido” da Comissão Europeia (braço executivo da UE) para que os onze países que aprovaram o novo ônus possam aplicá-lo. Os signatários são França, Alemanha, Bélgica, Portugal, Eslovênia, Áustria, Grécia, Itália, Espanha, Eslováquia e Estônia.

Publicidade

Esta é a primeira aplicação do procedimento de cooperação reforçada entre países europeus no âmbito da tributação. Os demais países europeus poderão se somar à iniciativa quando desejarem.

Leia também:

Fórum de Davos começa nesta quarta, com foco na Europa

Merkel e Hollande ignoram futuro da economia europeia

Publicidade

(com agência France-Presse

Publicidade