Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Taurus assina acordo de joint venture para fabricar armas na Índia

A fabricante brasileira deverá ficar com 49% da nova empresa, que fabricará armamento civil e militar em território indiano

Por Da Redação Atualizado em 25 mar 2021, 21h13 - Publicado em 27 jan 2020, 09h55

A Taurus Armas assinou nesta segunda-feira, 27, acordo definitivo para a criação de uma joint venture que permitirá a fabricação e comercialização de armas na Índia, de acordo com fato relevante divulgado pela companhia.

A assinatura do acordo junto à indiana Jindal Group acontece durante a missão do presidente Jair Bolsonaro ao país. Segundo a Taurus, já foram concluídos estudos de viabilidade e dada autorização pelo conselho de administração da companhia para o acordo.

A Jindal Group terá 51% do capital da joint venture e a Taurus ficará com 49% do capital. De acordo com a fabricante brasileira de armas, a joint venture criada irá implantar uma fábrica de armas na Índia, onde serão produzidos fuzis, pistolas e revólveres para os mercados civis, de segurança pública e militar.

“A Taurus segue firme no processo de reestruturação baseado em rentabilidade sustentável, qualidade e melhora dos indicadores financeiros e operacionais, além do forte investimento no desenvolvimento de novos produtos e tecnologias”, diz a companhia no comunicado. 

Visita

Durante a visita do presidente Bolsonaro à Índia, os países assinaram quinze acordos, entre eles um para facilitação de investimentos e cooperação. Também está entre os tratados um para o desenvolvimento de  projetos em parceria para pesquisa e produção animal.

Segundo nota do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a declaração “prevê cooperação em sanidade animal (comércio de animais, material genético e produtos de origem animal), que envolve pecuária e pesca; capacitação técnica (assistência técnica, cursos e estágios e transferência de tecnologia em reprodução animal) e pesquisa em genômica bovina e intercâmbio mútuo de germoplasma (material genético)”.

Há expectativa ainda de que o Brasil coopere na instalação de um centro de excelência em pecuária leiteira na Índia. Brasil e Índia divulgaram comunicado conjunto com 48 pontos, seis na área de agricultura, pecuária e processamento de alimentos. Entre eles, Bolsonaro e Modi anunciam a abertura do mercado indiano para exportações brasileiras de gergelim e a abertura do mercado brasileiro para exportações indianas de sementes de milho. Também foram assinados acordos em áreas como ciência e tecnologia, energia, segurança e previdência social.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade