Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

TAM reduzirá operações em mercado doméstico em até 10%

Segundo comunicado ao mercado, cortes de vagas afetarão menos de 2% dos funcionários da empresa

A companhia aérea TAM, da Latam Airlines, anunciou nesta segunda-feira que reduzirá gradualmente sua operação no Brasil de 8% a 10% diante do desaquecimento do setor aéreo e do que considera um “cenário econômico desafiador”. A empresa informou também que os ajustes preveem cortes de menos de 2% no seu quadro de funcionários, incluindo a rotatividade natural da companhia. A informação foi publicada por meio de fato relevante na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta segunda-feira.

“Diante de um cenário econômico desafiador no país, provocado pelo aumento da inflação e pela alta do dólar em relação ao real, resultando numa desaceleração do setor aéreo, a TAM começa, a partir de agora, uma redução gradual de suas operações no mercado doméstico”, diz o comunicado emitido na CVM.

O grupo Latam Airlines mantém atualmente 53.644 funcionários. A empresa não informou o total de empregados relacionados apenas à TAM.

A companhia aérea revisou neste ano sua previsão de oferta, medida em assentos-quilômetro oferecidos (ASK) no mercado doméstico brasileiro, para uma contração de 2% a 4% sobre 2014, ante previsão anterior de estabilidade. Segundo o comunicado, a TAM não deixará de operar em nenhum dos destinos onde está presente atualmente.

A presidente da TAM, Claudia Sender, afirmou que o ajuste da malha doméstica é necessário para enfrentar o contexto econômico difícil, sem prejudicar a conectividade dos passageiros. “Essa adequação não afeta a estratégia de longo prazo da empresa, que inclui a renovação da frota, o projeto de estudo de viabilidade do hub (centro de conexões) Nordeste e do contínuo fortalecimento dos hubs de Brasília e São Paulo/Guarulhos”, disse a executiva no comunicado.

Leia também:

Gol terá Wi-Fi em todas as aeronaves – mas só a partir de 2016

Dono da Azul vence disputa para privatizar a TAP

Alta do dólar eleva prejuízo da Gol para R$ 1,1 bilhão em 2014