Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Supernavio da Vale rachou; não teria suportado a carga

Por Sabrina Lorenzi e Jeb Blount

RIO DE JANEIRO (Reuters) – O navio gigante a serviço da Vale que apresentou problemas após ser carregado com quase 400 mil toneladas de minério de ferro no Maranhão sofreu rachaduras no casco, informou a Capitania dos Portos no local nesta terça-feira.

Recém-construído na Coreia do Sul, o navio integra a nova frota que a Vale está montando com o objetivo de reduzir seus custos de transporte transoceânico de minério de ferro. A embarcação pode não ter suportado a carga, segundo a Capitania.

O cargueiro Vale Beijing deveria ter deixado o porto de Ponta da Madeira, no Maranhão, no domingo, com destino ao porto de Rotterdam, na Europa. Atracou no porto maranhense na última sexta-feira para receber a carga.

Nesta terça-feira, o navio começou a ser removido do berço de carregamento para um outro local, onde deverá passar por reparos, de acordo com o serviço de praticagem no porto.

Com isso, as atividades de carregamento de minério de ferro no berço com capacidade para receber supernavios poderão ser retomadas.

Os embarques em Ponta da Madeira respondem por cerca de 10 por cento das exportações globais de minério de ferro.

O Vale Beijing foi carregado com 384,3 mil toneladas de minério de ferro, volume suficiente para produzir uma quantidade de aço para a construção de três pontes Golden Gate, ponto turístico da Califórnia.

Segundo funcionários locais, o dano na embarcação pode ter sido causado durante o carregamento ou o navio possui problemas estruturais.

A Vale, maior produtora de minério de ferro do mundo, informou na noite de segunda-feira, por meio de sua assessoria de imprensa, que esperava que o supernavio, parado perto de São Luís, fosse removido para uma área de fundeio.

“A Vale informa que está acompanhando as tratativas que estão acontecendo entre a STX Pan Ocean, proprietária e operadora do navio que está atracado no Pier I no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, DNV (órgão classificador do navio) e as autoridades responsáveis”, disse em comunicado da empresa.

Construído pela sul coreana STX Pan Ocean, o Vale Beijing ficou pronto recentemente. É o primeiro de oito supercargueiros que serão entregues pela empresa até 2013 para transportar minério de ferro da Vale. Todos possuem capacidade de transporte de 400 mil toneladas.

O contrato de afretamento entre Vale e STX para estes navios, fechado em 2009, é da ordem de 6 bilhões de dólares, segundo a empresa asiática.

35 VALEMAX

A mineradora brasileira informou à Reuters que firmou contratos de arrendamento para um total de 16 navios gigantes, conhecidos no mercado como Valemax.

Outros 19 navios gigantes foram encomendados para serem operados pela própria Vale, num total de 35 embarcações do mesmo porte.

Destes que pertencerão à mineradora, 12 serão construídos na China, pelo estaleiro Rongsheng Shipbuilding and Heavy Industries, e outros sete na Coreia.

As encomendas integram a estratégia da Vale para reduzir custos de frete no mercado internacional, considerando que a maior parte do minério que exporta do Brasil tem a Ásia como destino – e a distância é uma desvantagem em relação a suas concorrentes australianas.

Por volta das 12h (horário de Brasília), as ações da Vale operavam em baixa de 0,3 por cento, enquanto o Ibovespa caía 0,2 por cento.