Clique e assine a partir de 8,90/mês

Superávit do governo central cai 21,5% em setembro

O Tesouro, por sua vez, teve um superávit de 12,518 bilhões de reais, resultado 89% superior ao registrado no mês anterior

Por Da Redação - 29 out 2012, 15h35

O Governo Central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência) teve um superávit primário de 1,256 bilhão de reais em setembro, o que significa uma queda de 21,5% em relação ao resultado de agosto, divulgou nesta segunda-feira o Tesouro Nacional. O superávit primário é a economia feita pelo governo central para pagar a dívida externa, excluindo-se os juros.

A receita líquida total do governo central somou 70,419 bilhões de reais, com alta de 4,2% sobre agosto. Já a despesa total ficou em 69,163 bilhões de reais, com aumento de 4,9% na comparação com o mês anterior. Em setembro, a receita com dividendos ficou em 3,603 bilhões de reais, com queda 38,2% sobre agosto.

O Tesouro teve um superávit de 12,518 bilhões de reais, resultado 89% superior ao registrado no mês anterior. A Previdência Social registrou um déficit de 11,121 bilhões de reais no mês passado, uma alta de 125,3% em relação ao resultado negativo registrado em agosto. Já o Banco Central registrou no mês passado um déficit primário de 141,7 milhões de reais, resultado 59,3% pior que o verificado em agosto.

No acumulado de janeiro a setembro, o superávit do Governo Central é de 54,765 bilhões de reais, o que representa 1,68% do Produto Interno Bruto (PIB). O resultado é 27,3% menor que o registrado em igual período de 2011, quando somou 75,291 bilhões de reais (2,47% do PIB).

Duas das dificuldades do governo para cumprir a meta cheia de superávit primário são o baixo crescimento da economia e o efeito das desonerações tributárias. Esses fatores fizeram com que a arrecadação registrasse a quarta queda mensal consecutiva em setembro, somando 78,215 bilhões de reais.

O superávit do Tesouro Nacional de janeiro a setembro atingiu 94,517 bilhões de reais, queda de 14,7% em relação a igual período de 2011. A Previdência Social acumulou um déficit de 39,197 bilhões de reais, alta de 12,4%; enquanto o Banco Central teve um resultado negativo de 554,2 milhões de reais no período, queda de 2,3%.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade