Clique e assine com 88% de desconto

State Grid negocia compra de eólicas da AES nos EUA–fontes

Por Da Redação - 27 fev 2012, 08h21

Por Wan Xu e Don Durfee

PEQUIM, 27 Fev (Reuters) – A chinesa State Grid tem mantido negociações com a norte-americana AES sobre a aquisição de uma participação de controle nos negócios da empresa em energia eólica nos Estados Unidos, disseram três fontes.

Não ficou claro quanto a State Grid poderia pagar pelos ativos ou como o negócio seria estruturado após a venda. Segundo estimativas de analistas, os ativos podem estar avaliados em 1,65 bilhão de dólares.

As negociações envolvem ativos de geração de energia eólica com capacidade para cerca de 1.100 megawatts (MW) e dariam à State Grid uma participação de cerca de 80 por cento nos negócios eólicos da AES nos EUA, disseram fontes com conhecimento direto do assunto à Reuters. Um acordo marcaria a primeira entrada da State Grid nos Estados Unidos.

Publicidade

A State Grid já tem presença nas Filipinas, Brasil e Portugal, conforme grupos estatais chineses com recursos em abundância se expandem ao exterior.

O presidente da State Grid, Liu Zhenya, visitou os EUA no início deste mês como parte de uma delegação que acompanhou o vice-presidente chinês, Xi Jinping. Duas das fontes afirmaram que as companhias assinaram um acordo durante esta viagem, mas a terceira fonte informou que a operação ainda está em fase de negociação.

A AES Wind Generation opera mais de 1.800 MW de capacidade de geração de energia eólica nos EUA, China e Europa. Desse total, quase 1.346 MW estão nos EUA, segundo site da companhia.

Representantes da AES não responderam imediatamente a pedidos de comentário e o assessor de imprensa da State Grid não quis comentar o assunto.

Publicidade

Um eventual acordo entre as empresas precisaria de aprovação regulatória nos EUA e China.

Em 22 de fevereiro, a companhia chinesa assinou acordo para comprar participação de 25 por cento na portuguesa REN por cerca de 508 milhões de dólares e em dezembro de 2010, a State Grid comprou 7 empresas brasileiras de transmissão de energia com investimentos totalizado quase 1 bilhão de dólares.

Publicidade