Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

S&P revisa perspectiva da Ambev, Eletrobras e outras 28 empresas

Reavaliação acompanha a alteração no horizonte da nota de crédito do país, de estável para negativa

Por Da Redação 29 jul 2015, 09h52

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s revisou de estável para negativa a perspectiva dos ratings (notas de crédito) de 30 empresas brasileiras. Entre elas, estão a AmBev, Braskem, Cesp, Eletrobras, Votorantim, Ultrapar, Samarco, Globo e Net.

A decisão veio depois de a S&P ter alterado nesta terça-feira a perspectiva do rating BBB- do Brasil, também de estável para negativa. A mudança sinaliza a possibilidade de perda do grau de investimento, que foi alcançado pelo país em 2008. Sem o selo de “bom pagador”, o Brasil terá que pagar juros mais caros para obter empréstimos no exterior.

Outras companhias tiveram o rating reafirmado, ou seja, não foram afetadas pela reavaliação da nota do país. Entre elas estão a Petrobras, Odebrecht Engenharia e Construção, Klabin, Neoenergia. Todas essas têm mesma nota de classificação do país (BBB -), já com o horizonte negativo.

Leia também:

Risco de rebaixamento leva dólar à 5ª sessão de alta

Dez países que superam o Brasil no ranking da S&P – e que você nunca imaginaria

Em 2008, Lula festejou nota da S&P

Confira abaixo a lista das empresas que mantiveram a nota de crédito, mas com a perspectiva alterada para negativa

Companhia de Bebidas das Américas (AmBev)

Atlantia Bertin Concessões S.A. (AB Concessões) e suas subsidiárias, Rodovia das Colinas S.A. e Triângulo do Sol Auto-Estradas S.A

Arteris S.A. e sua subsidiária, Autopista Planalto Sul S/A

Braskem S.A

CCR S.A. e suas subsidiárias, Autoban – Concessionária do Sistema Anhanguera Bandeirantes S.A., Concessionária da Rodovia Presidente Dutra S.A., e Rodonorte Concessionária de Rodovias Integradas S.A

CESP-Companhia Energética de São Paulo

Companhia de Gás de São Paulo – Comgás

Companhia Energética do Ceará – Coelce

Duke Energy International Geração Paranapanema S.A. (Duke)

Ecorodovias Concessões e Serviços S.A. e Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A

Elektro Eletricidade e Serviços S.A. (Elektro)

Eletrobras-Centrais Elétricas Brasileiras S.A.

Globo Comunicação e Participações S.A. (Globo)

Continua após a publicidade

Itaipu Binacional

Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. (Multiplan)

Net Serviços de Comunicação S.A. (Net)

Samarco Mineração S.A.

Tractebel Energia S.A.

Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. (TAESA)

Ultrapar Participações S.A. (Ultrapar)

Votorantim Participações S.A. e suas subsidiárias, Votorantim Industrial S.A. e Votorantim Cimentos S.A.

Abaixo segue a lista das empresas que tiveram mantidas as notas de crédito e a perspectiva, em estável:

Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.

BRF S.A.

Embraer S.A.

Fibria Celulose S.A.

Raízen

Abaixo seguem as empresas que tiveram mantidas as notas de crédito e a perspectiva, em negativa:

Natura Cosméticos S.A.

Vale S.A. e sua subsidiária, Vale Canadá Ltd.

Klabin S.A.;

Neoenergia S.A.;

Odebrecht Engenharia e Construção S.A.

Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade