Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Sócios da Sete terão mais tempo para aderir a aumento capital

Por Da Redação 30 abr 2012, 17h10

RIO DE JANEIRO, 30 Abr (Reuters) – A Sete Brasil, empresa contratada pela Petrobras para o fornecimento de sondas de perfuração de poços de petróleo, ampliou o prazo para o aumento de capital, que vencia nesta segunda-feira, para o dia 5 de maio, informou a companhia.

A empresa pretende elevar o seu capital dos atuais 1,9 bilhão de reais para 7,6 bilhões de reais. O dinheiro é necessário para financiar parte da construção das sondas de exploração de petróleo, que exigirão 27 bilhões de dólares em investimentos.

Com a ampliação do prazo, os sócios da companhia terão mais tempo para definir a participação na operação.

Dividem o capital da Sete Brasil os fundos de pensão Petros e Funcef, cada um com 19,2 por cento, seguidos pelos bancos Bradesco, BTG Pactual e Santander , com participações individuais de 13,7 por cento; os outros sócios são Previ (10 por cento), Valia (5,5 por cento) e a própria Petrobras (que detém 5 por cento).

A Sete Brasil ganhou a licitação de 28 das 33 sondas contratadas pela Petrobras para explorar o pré-sal nos próximos anos. A Ocean Rig ficou com as cinco restantes.

O processo de aumento de capital poderá marcar a entrada de novos sócios na empresa.

Já demonstraram formalmente interesse na empresa, por meio de carta de compromisso, o fundo de equity norte-americano Energy Investment Group (EIG) e a Lucce Drilling.

Se os atuais acionistas não exercerem seu direito de preferência, as duas empresas serão chamadas para ingressar na Sete.

Um dos sócios já manifestou formalmente que não irá participar do aumento do capital, segundo disse à Reuters o presidente da Sete Brasil, na semana passada, sem dar detalhes.(Reportagem de Leila Coimbra; edição de Roberto Samora)

Continua após a publicidade
Publicidade