Clique e assine a partir de 9,90/mês

“Só uma palavra sobre Previdência: nós vamos fazer”, diz Onyx

Segundo ele, Paulo Guedes fará uma apresentação de pontos da reforma da Previdência a Bolsonaro nesta sexta-feira, 4, ou início da próxima semana

Por João Pedroso de Campos, de Brasília - Atualizado em 7 jan 2019, 21h41 - Publicado em 3 jan 2019, 14h45

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse hoje que o ministro da Economia, Paulo Guedes, fará uma apresentação de pontos da reforma da Previdência a Jair Bolsonaro nesta sexta-feira, 4, ou no início da próxima semana.

Ele não deu detalhes sobre a proposta de Guedes. “Só uma palavra sobre Previdência: nós vamos fazer a reforma. Próxima pergunta”, disse após ser questionado sobre o tema.

Em seu discurso de transmissão do cargo ontem, Guedes falou da importância da Previdência, mas afirmou que, sem a aprovação da reforma, a saída é desvincular o Orçamento.

A mensagem, porém, foi vista com ressalva pelo ex-ministro da Fazenda e sócio da Tendências Mailson da Nóbrega.“Esse é o tipo de raciocínio que enfraquece o discurso da reforma da Previdência porque manda a mensagem para os congressistas, que não são nada simpáticos à reforma, de que tem uma saída”, afirmou Mailson.

Continua após a publicidade

Nos últimos dias, integrantes do núcleo duro do governo têm fornecido informações desencontradas. Enquanto o vice-presidente general Hamilton Mourão, e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebbiano, afirmam que a ideia é partir da proposta já em tramitação no Congresso Nacional, Lorenzoni disse que o texto apresentado originalmente pelo governo do ex-presidente Michel Temer não será aproveitado.

Quando confrontado ontem sobre se o novo governo estaria então disposto a enfrentar todo o rito de tramitação de uma nova Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o que inclui passagem pelas comissões, o ministro da Casa Civil disse apenas que nada estava decidido.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho também indicou ontem que o caminho deve incluir o aproveitamento da proposta já em tramitação para ganhar tempo nas negociações.Uma das alternativas é apresentar uma nova PEC e apensá-la à que já existe para viabilizar uma votação diretamente no plenário da Câmara dos Deputados, sem passar pelas comissões. 

Ainda conforme Onyx, cada um dos ministros apresentará na próxima terça-feira, em outra reunião no Planalto, as medidas que serão tomadas por cada pasta nos primeiros meses de governo.

Publicidade