Clique e assine a partir de 9,90/mês

Sindicato e GM estendem suspensão de contrato

Com o encerramento do contrato em novembro, preocupação era de que o encontro desta quinta-feira resultasse em demissões

Por Da Redação - 11 out 2012, 16h46

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP) e a General Motors (GM) entraram em acordo nesta quinta-feira para estender até 26 de janeiro o sistema de lay off (contrato de trabalho suspenso) para 824 trabalhadores da montadora. O contrato se encerraria no fim de novembro e a ameaça era de que, no encontro desta manhã, a GM anunciasse a demissão de 1.840 trabalhadores a partir de dezembro – incluindo os que estão em lay off.

O sindicato avisou que as demissões estão temporariamente suspensas, pois a montadora decidiu pela continuidade da produção do carro Classic na cidade. Até 26 de janeiro, o automóvel continuará a ser montado na planta da GM em São José dos Campos e as negociações prosseguem.

De acordo com órgão sindical, 232 trabalhadores já aderiram ao programa de demissão voluntária (PDV), que seguirá aberto para anuência de outros funcionários.

Leia também:

Continua após a publicidade

É ilusão achar que os preços vão cair, diz ex-presidente da Ford

GM propõe 8,24% de aumento e agrada metalúrgicos

Risco de vazamento de combustível faz GM anunciar recall de 41 mil carros nos EUA

Os trabalhadores que estão com contrato de trabalho suspenso receberão participação nos lucros e resultados (PLR) e o 13.º salário. Na próxima segunda-feira, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos apresentará aos trabalhadores, na porta da fábrica da GM, a proposta da montadora.

Continua após a publicidade

Uma delegação de cerca de 150 integrantes, entre trabalhadores afastados e dirigentes sindicais, seguirá para Brasília também na segunda com o objetivo de para fazer mobilização em frente ao Senado e cobrar do governo a defesa dos empregos.

(com Agência Estado)

Publicidade