Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Siemens vai cortar 15 mil empregos em plano de redução de custos

De acordo com um porta-voz da empresa, a intenção é enxugar os gastos da multinacional em 6 bilhões de euros

A Siemens vai cortar 15 mil postos de trabalho no próximo ano, um terço desse montante na Alemanha, como parte de um plano de cortes de custos de 6 bilhões de euros, informou um porta-voz do grupo de engenharia no domingo.

O anúncio veio dois meses depois da saída do presidente-executivo Peter Loescher, que desenhou o plano de reestruturação no final do ano passado.

O maior grupo de engenharia da Europa, cujos produtos vão de aparelhos de audição a turbinas para termelétricas a gás, quer diminuir a distância que o separa de rivais mais lucrativas como a norte-americana General Electric e a suíça ABB.

Leia também:

Siemens e Alstom: por que elas brigam tanto?

Entenda as denúncias de cartel no metrô de São Paulo

Ex-executivo da Siemens relata ilícitos em mais 2 áreas

A Siemens e sindicatos de trabalhadores chegaram a um acordo sobre metade dos cortes de empregos e um acerto sobre a outra metade deverá ser concluído em seguida, disse o porta-voz.

Nenhum funcionário foi afastado até agora e a Siemens tem afirmado que não tem intenção de fazer reduções forçadas, preferindo corte de vagas abertas e demissões voluntárias.

Na Alemanha, cerca de 2 mil empregos serão eliminados na unidade industrial da companhia e outros 1.400 na divisão de energia e infraestrutura, informou o porta-voz.

A Siemens espera fechar o atual ano fiscal nesta segunda-feira com cerca de 370 mil trabalhadores, mesmo nível do ano anterior.

(com agência Reuters)