Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Setor privado da zona do euro sobe após 4 meses

Por Da Redação 3 fev 2012, 07h37

LONDRES, 3 Fev (Reuters) – A economia do setor privado da zona do euro subiu em janeiro após quatro meses de queda, embora muito lentamente, de acordo com uma pesquisa que indicou que a região pode evitar uma recessão.

O índice de gerentes de compras subiu em janeiro para 50,4 ante 48,3 em dezembro, em linha com a leitura preliminar e acima da marca de 50, o que denota crescimento pela primeira vez desde agosto.

O índice mede as mudanças em atividades empresariais de milhares de empresas de serviços e manufatureiras por toda a zona do euro, e tem um bom histórico de prever o crescimento econômico.

O compilador de pesquisas Markit afirmou que tal resultado pode indicar que a economia da zona do euro tem chances de evitar uma contração no segundo semestre – a definição técnica de recessão.

“É encorajador não apenas ver sinais de que a economia alemã voltou à vida, mas também que a taxa de declínio na periferia começou a diminuir substancialmente”, afirmou o economista-chefe do Markit, Chris Williamson.

Apesar do cenário mais firme do que no último conjunto de índices de gerentes de compras, Williamson alertou que há muitas dúvidas sobre como a zona do euro irá administrar sua crise de dívida soberana.

“Qualquer revés nas atuais negociações pode facilmente causar uma nova queda na confiança”, afirmou.

Continua após a publicidade

A Grécia quase fechou um acordo com os seus credores para cortar a sua montanha de dívida, mas o governo está agora correndo para concluir as negociações para receber um resgate de 130 bilhões de euros (170 bilhões de dólares) do Fundo Monetário Internacional (FMI) até o final desta semana.

O Markit apontou uma evidência curiosa na pesquisa de que a confiança do empresário e do consumidor está se recuperando. O índice alemão ZEW para o sentimento de analistas e do investidor alcançou uma alta recorde em janeiro, sugerindo que a maior economia da Europa pode, pelo menos, ter encontrado um ponto de virada.

No entanto, a pesquisa desta sexta-feira sugeriu que o emprego no setor privado teve leve queda pela primeira vez desde abril de 2010, com o índice de emprego caindo para 49,4 em janeiro.

O índice de gerentes de compras para o setor de serviços, que compreende a maior parte da economia da zona do euro, também cresceu em janeiro, para 50,4, ante 48,8, número revisado para baixo da leitura preliminar de 50,5.

Assim como a pesquisa composta, esta também se recuperou em janeiro, após quatro meses seguidos de índices abaixo de 50.

“Os fluxos de novos negócios caíram, mas na taxa mais fraca desde agosto. A taxa de declínio desacelerou após três meses, sugerindo que a demanda pode estar se recuperando”, afirmou Williamson, do Markit.

O componente de novos pedidos da pesquisa subiu para 48,7, de 47,1 em dezembro, a leitura mais alta em cinco meses, mas ainda abaixo da marca de 50.

(Por Andy Bruce)

Continua após a publicidade
Publicidade