Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Setor externo tem rombo de US$ 4,81 bi em janeiro, o menor desde 2009

Cenário de recessão econômica e dólar caro voltaram a contribuir para a melhora das contas externas do país

O primeiro déficit das transações correntes do Brasil em 2016 somou 4,817 bilhões de dólares, como informou nesta terça-feira o Banco Central (BC). O resultado negativo, puxado pelo fraco nível de atividade e pelo dólar caro, foi menos intenso que a mediana das estimativas coletadas pela Agência Estado, negativa em 5,950 bilhões de dólares.

O resultado deficitário é o menor para o mês desde 2009, com base na atualização da série histórica do balanço de pagamentos. Naquele ano, diante do impacto da crise financeira internacional, o déficit em conta corrente brasileira somou 3,450 bilhões de dólares. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o rombo teve queda de 60%.

A instituição atualizou nesta terça a nova série histórica das transações correntes (BPM6) até 1995. A intenção é retroagir toda a série até 1947 no próximo mês. Em abril do ano passado, o BC passou a adotar nova metodologia para essas contas, em linha com a contabilidade internacional. A série era válida apenas de 2010 até hoje.

O BC projetou no mês passado que o déficit de janeiro seria de 6,7 bilhões de dólares. Segundo o chefe do departamento econômico da instituição, Tulio Maciel, janeiro é sazonalmente um mês de resultados negativos para o setor externo.

A balança comercial teve superávit de 643 milhões de dólares no mês passado, de acordo com a autoridade monetária. A conta de renda primária em janeiro ficou negativa em 4,316 bilhões de dólares. Já a conta de serviços foi negativa em 1,38 bilhão de dólares no período.

Em meio ao cenário de recessão econômica e de alta do dólar, as importações ficam mais caras, afetando a demanda. Em contrapartida, a valorização da moeda americana estimula as exportações e favorecem o resultado da balança comercial.

Ainda de acordo com o BC, os investimentos diretos no país (IDP) somaram 5,455 bilhões de dólares em janeiro. Com isso, foram suficientes para cobrir o déficit de 4,81 bilhões de dólares em janeiro deste ano.

No acumulado dos últimos 12 meses até janeiro deste ano, o saldo das transações correntes está negativo em 51,557 bilhões de dólares, o que representa 2,94% do Produto Interno Bruto (PIB).

Para fevereiro, o BC projeta que o déficit em transações correntes no país ficará em 1,5 bilhão de dólares e o IDP em 4,5 bilhões de dólares. “Nossa projeção de déficit em transações correntes para 2016 já está se mostrando conservadora”, afirmou Maciel.

Leia mais:

Desconto médio em preço de imóveis é recorde em 2015

Brasil e México fecham acordo para impulsionar comércio de cachaça e tequila

(Com Estadão Conteúdo)