Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Senadores não entram em acordo para votar unificação do ICMS

Ministro da Fazenda havia pedido aos senadores que apressassem votação do projeto, que impacta a arrecadação dos Estados

Após uma série de conversas com lideranças do Senado, o líder do governo na Casa, Delcídio Amaral (PT-MS), admitiu nesta quinta-feira que não há acordo entre os senadores para votar o projeto de resolução que unifica as alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, queria a votação imediata dessa proposta antes de quaisquer outras matérias do pacote de reforma do imposto, mas enfrenta resistências de parlamentares e governadores. “Não há acordo aqui entre os senadores, possivelmente orientados pelos governadores. Eles não se sentem confortáveis para votar”, reconheceu Delcídio.

O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), reforçou que não há possibilidade de votar o projeto. O tucano afirmou ter conversado hoje com Levy sobre a dificuldade de votar essa proposta em separado de todo o pacote da reforma do ICMS.

Para compensar os Estados pela unificação do ICMS, a presidente Dilma Rousseff criou dois fundos, ao editar a MP 638 na última terça-feira. Esses fundos serão abastecidos parcialmente por taxas cobradas nas repatriação de valores mantidos por brasileiros no exterior sem declaração ao Fisco. O objetivo da MP era facilitar a aprovação da unificação do ICMS no Congresso, acabando, assim, com a guerra fiscal entre os Estados..

Leia também:

Levy alerta que 2016 pode ser pior se ajustes não forem implementados

Meta fiscal deveria ser zero para ser factível, diz estudo da Câmara

Senado deve votar última parte do ajuste só em agosto, diz Renan