Group 21 Copy 4 Created with Sketch.
Ao vivoAmarelas ao Vivo entrevista João Amoêdo, do Novo

Evento de VEJA também vai ouvir os presidenciáveis Geraldo Alckmin (PSDB), Alvaro Dias (Podemos), Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB)

Senado aprova convite para Mantega explicar mudanças

Regras novas passaram a valer na semana passada, com remuneração da aplicação variando conforme a Selic

Após aval do Palácio do Planalto, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou nesta terça-feira convite para que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, explique aos senadores as mudanças na caderneta de poupança anunciadas pelo governo federal na última semana.

Mantega já informou ao colegiado que os esclarecimentos poderão ser feitos já na próxima reunião da CAE, na terça da semana que vem. O chefe da Fazenda também deverá atender a convite de deputados. A presença de Guido Mantega no Congresso foi costurada durante café da manhã entre a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e parlamentares da base aliada.

Leia mais:

Leia mais: Ao mexer na poupança, Dilma mostra que é mais ousada que Lula

A medida provisória que instituiu as mudanças na poupança prevê correção mensal da caderneta pelo equivalente a 70% da taxa básica de juros (Selic) mais a variação da Taxa Referencial (TR), que hoje é de 0,0864% ao mês. Essa regra valerá sempre que a Selic estiver em 8,50% ao ano ou em patamar inferior a este. Se a taxa estiver acima disso, o rendimento permanecerá no nível atual: 0,5% ao mês mais a variação da TR. A Selic está atualmente em 9% ao ano.

Em abril, os depósitos em caderneta de poupança superaram as retiradas em 1,97 bilhão, de acordo com informações do Banco Central (BC). Foram 96,19 bilhões de reais captados e 94,22 bilhões de reais retirados. Este é o segundo maior resultado para abril desde 1995, quando a pesquisa começou. Ele só perdeu para o registrado em abril de 1997 (2,04 bilhões).