Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Secretário de petróleo do Ministério de Minas e Energia pede demissão

Márcio Felix comunica razões pessoais ao solicitar a saída; secretária-adjunta da pasta, Renata Beckert Isfer, assumirá a posição interinamente

O secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, Márcio Felix, pediu demissão do cargo, informou o ministério nesta segunda-feira, 2. A secretária-adjunta da pasta, Renata Beckert Isfer, assumirá a posição interinamente. A saída do secretário se dá em meio a uma série de reformas regulatórias na sua área, além de aberturas de mercados e privatizações.

O ex-secretário alegou razões pessoais para pedir a sua saída. Em carta datada da última sexta-feira, 30, ele reiterou “integral apoio ao programa de trabalho” do ministério e se colocou à disposição para seguir ajudando a realizar as políticas públicas relacionadas a biocombustíveis, gás e petróleo “como cidadão brasileiro e técnico da área”.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, divulgou carta de agradecimento na qual afirmou que Felix “soube lidar, muito bem, com o dilema diário de identificar prioridades e de atribuir velocidade a questões primordiais para o desenvolvimento sustentável do país, conciliando demandas; levando, a excelentes termos, eventuais divergências; e superando desafios”.

Desde que entrou na pasta, em julho de 2016, Felix participou de mudanças importantes no setor, como a construção de um calendário de leilões, lançamento de programa de estímulo aos biocombustíveis, grandes reformas regulatórias com vistas à atração de investimentos externos, dentre outros. “Vou continuar me dedicando a esse setor”, disse Felix, destacando que cumprirá um período de quarentena até março do próximo ano.

Por enquanto, o ex-secretário adiantou que permanecerá no Conselho de Administração da estatal Pré-Sal Petróleo (PPSA), que representa os interesses do governo nas áreas regidas pelo regime de partilha de produção no pré-sal.

Felix ocupava a chefia da área de petróleo e gás do ministério desde o início do governo de Jair Bolsonaro. Antes, durante o governo de Michel Temer, ele atuou no mesmo cargo entre julho de 2016 e abril de 2018, e também foi secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia de abril de 2018 a dezembro do mesmo ano.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)