Clique e assine a partir de 9,90/mês

Seca provoca mais perdas para safra de soja do Brasil

Redução na previsão da safra de soja é fruto da estiagem que se iniciou em dezembro e se estendeu até fevereiro

Por Da Redação - 27 fev 2012, 15h52

A consultoria Agroconsult reduziu a sua previsão de safra de soja do Brasil 2011/12 para 69,9 milhões de toneladas em meio à seca no Sul do país, ante 71 milhões de toneladas na estimativa do início de fevereiro, informou um analista à Reuters. A nova previsão indica uma queda de mais de 5 milhões de toneladas na comparação com a temporada passada, quando o Brasil registrou um recorde de produção da oleaginosa.

As informações sobre a quebra de safra no Brasil, segundo produtor global de soja atrás dos Estados Unidos, colaboraram para acentuar os ganhos na bolsa de Chicago nesta segunda-feira. Pela manhã, outra consultoria, a AgRural, também reduziu sua previsão, indicando uma safra de 68 milhões de toneladas. “A realidade é que a safra foi prejudicada e algumas perdas são irreversíveis”, disse o analista da Agroconsult André Debastiani, que integra a equipe 4 do Rally da Safra, expedição que está nesta semana percorrendo lavouras da região Sul.

Segundo ele, a redução na previsão da safra de soja é fruto da estiagem que se iniciou em dezembro e se estendeu até fevereiro, em meio à ocorrência do fenômeno climático La Niña, que tende a deixar mais escassas e irregulares as chuvas na região Sul.

Consultorias privadas têm constantemente reduzido suas previsões em meio à seca, isso numa safra que tinha potencial para ser novamente a maior da história, com um crescimento de plantio para um recorde de cerca de 25 milhões de hectares. “Esta região (norte do Paraná) ainda não é a mais afetada pela seca, mas sofreu condições muito desiguais, entre chuva e seca”, acrescentou Debastiani.

Continua após a publicidade

Milho – Já a colheita total de milho do Brasil 11/12 foi prevista em um recorde de 63,7 milhões de toneladas pela Agroconsult, ante 61 milhões de toneladas na previsão de janeiro. O aumento na previsão se deve à verificação de uma área plantada na segunda safra maior do que a prevista inicialmente, afirmou.

A Agroconsult estima a chamada safrinha em 27,1 milhões de toneladas, disse o analista, se fornecer dados comparativos. Na temporada passada, o Brasil colheu 57,5 milhões de toneladas de milho nas duas safras, segundo o Ministério da Agricultura.

Rally da safra – A equipe 4 do Rally da Safra partiu nesta segunda-feira de Londrina, norte do Paraná, e passará pelo centro do Estado, até o município de Ponta Grossa. Depois seguirá por Santa Catarina até o Rio Grande do Sul, na próxima semana.

O Paraná é o segundo maior produtor de soja do Brasil, atrás de Mato Grosso, e registrou produtividade média recorde de 54 sacas por hectare no ano passado. Mas nesta temporada a consultoria já trabalha com rendimento de cerca de 45 sacas por hectare. “À medida que avançarmos para o sul devemos encontrar as áreas mais afetadas como no sudoeste do Paraná, extremo oeste e noroeste catarinense, que também foi bastante afetado, e no Rio Grande do Sul”, disse Debastiani.

Continua após a publicidade

No Rio Grande do Sul, afirmou o analista, a consultoria prevê produtividade média de 27 sacas por hectare. “Isso já significa rentabilidade zero… e tem produtor que terá produtividade menor, já que esta é uma média para o Estado”, ponderou.

Mato Grosso – O Rally da Safra começou em meados de janeiro em Mato Grosso, onde os especialistas encontraram um cenário muito diverso daquele enfrentado no Sul. “Em Mato Grosso, a produtividade está excelente… trabalhamos com 54 sacas (por hectare), mas pode chegar a 55 sacas”, disse o analista da Agroconsult.

Ele acrescentou que o cenário é o mesmo na Bahia, em Goiás e Minas Gerais, Estados que tendem a repetir o bom desempenho do ano anterior. “Lá para cima, a safra compensa (parte das perdas)… De modo geral, é um ano muito bom para o Centro-Oeste, Norte e Nordeste”, declarou.

O clima em Mato Grosso também vem favorecendo o cultivo do milho safrinha, cultivado após a colheita da soja, que foi plantado no período ideal em áreas com boa umidade de solo, segundo o analista. Ele observou que no Paraná ainda é preciso acompanhar o desenvolvimento da safra para saber como ficará a produção.

Continua após a publicidade

O Rally da Safra, organizado pela Agroconsult, percorrerá as principais regiões produtoras do Brasil até 22 de março. Ao todo, as equipes devem percorrer mais de 60 mil quilômetros passando por 13 Estados, além do Distrito Federal. Ao final, a consultoria divulgará previsões consolidadas de produção de soja e milho.

Leia mais:

Seca no RS é problema antigo; a solução também é velha conhecida

Seca: prejuízos no RS só devem ceder em cinco anos

Continua após a publicidade

(Com Reuters)

Publicidade