Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

São Paulo teve inflação zero em junho

Por Márcia DE Chiara

São Paulo – A região metropolitana de São Paulo, que responde por quase um terço do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e é o maior mercado consumidor do País, teve inflação zero em junho. O resultado é ainda menor que o índice nacional de inflação de 0,08%. No ano e no período de 12 meses até junho, a inflação acumulada em São Paulo também ficou abaixo da média nacional, com variações de 1,82% e 4,21%, respectivamente.

Os fatores que derrubaram a inflação em São Paulo são os mesmos que contribuíram para redução do índice geral de maio para junho, só que com maior intensidade. Enquanto os preços dos artigos de residência, como móveis, caíram 0,03% no índice geral, eles tiveram retração de 0,61% em São Paulo. Movimento semelhante ocorreu com os preços dos aparelhos eletroeletrônicos, que recuaram 0,62% no índice geral e 1,25% em São Paulo. O movimento mais significativo de queda foi registrado em veículos novos. No índice geral, a queda de preço em junho foi de 5,48%. Em São Paulo, foi de 6,78%. Todos esses itens tiveram o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido.

“A maior redução dos preços dos bens duráveis em São Paulo reflete o fato de o mercado ser mais competitivo aqui, com maior concorrência entre lojas de veículos, eletrodomésticos e móveis”, afirma Flávio Serrano, economista do Banco Espírito Santo (BES). Essa avaliação é compartilhada pelo economista da LCA Consultores Fábio Romão. “A concorrência pesa mais em São Paulo.”

Romão, da LCA, diz ainda que o endividamento elevado no maior mercado consumidor do País pode ter contribuído para o adiamento de compras de bens duráveis, mesmo com a redução do IPI. Daí a iniciativa das lojas de cortarem mais os preços.

Sem inflação

Economistas ressaltam que o fato de o IPCA em São Paulo ter sido zero em junho não significa que a inflação tenha acabado e muito menos que os preços não tenham oscilado nesse período. “Inflação é processo contínuo de alta de preços que tem de ser observado ao longo de um período mais longo”, diz Serrano, do BES.

O IPCA mede a variação média dos preços durante um período, acrescenta Romão, da LCA. O IPCA nulo registrado em São Paulo no mês passado deve ser interpretado da seguinte forma: na média, as oscilações positivas de preços no período foram equivalentes às negativas e uma coisa anulou a outra. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.