Clique e assine a partir de 9,90/mês

Santander concederá crédito de US$ 10 bi a infraestrutura no país

Emilio Botín se reuniu com a presidente Dilma Rousseff e anunciou o "pacote" para as concessões brasileiras

Por Da Redação - 12 set 2013, 21h23

O presidente mundial do Grupo Santander, Emilio Botín, anunciou que a instituição destinará 10 bilhões de dólares para financiar obras de infraestrutura no Brasil. “O dinheiro está disponível imediatamente para financiar empresas brasileiras e de todos os demais países que quiserem investir no Brasil”, disse Botín. Ele esteve reunido nesta quinta-feira com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto.

Segundo Botín, o banco dá “uma enorme importância” ao Brasil e vai colaborar concedercom assessoramento às grandes empresas brasileiras e espanholas, e também com financiamentos para obras de ferrovias, portos, rodovias e aeroportos.

Leia também:

Bancos privados aceitam financiar concessões – para alívio do BNDES

Continua após a publicidade

As declarações foram dadas após a reunião com a presidente Dilma. Botín assegurou que o banco “aposta” e “tem confiança” no Brasil e lembrou que o país é o mercado mais importante para a empresa. Ele disse que a quantia será oferecida para todas as empresas brasileiras e estrangeiras que quiserem investir no país “em uma primeira etapa”. Não sinalizou, no entanto, se mais recursos poderiam ser utilizados para esse fim.

Ele disse que saiu muito satisfeito da reunião com Dilma. Afirmou, ainda, que o Brasil se consolidou como uma grande potência regional e global, com instituições muito sólidas e um sistema financeiro muito consolidado. O executivo destacou que o Brasil conta com uma margem de manobra suficiente para fazer os ajustes necessários e com um governo plenamente consciente do que tem de fazer e fará, “como demonstrou em outras ocasiões”.

Segundo ele, os investimentos do Santander no Brasil foram um dos “maiores acertos estratégicos”. “Vamos continuar investindo no Brasil”, disse, ressaltando que tem “toda a confiança no Brasil”.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade