Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Santa Catarina supera São Paulo como maior criador de empregos

Por outro lado, Pernambuco foi o Estado com o pior resultado em 2014, com 13.000 demissões a mais do que contratações

O Brasil terminou o ano passado com o pior desempenho de seu mercado de trabalho desde 2002. O saldo nacional da criação de vagas (contratações menos demissões) desabou de 1,14 milhão em 2013 para 397.000 empregos criados. Regionalmente, quem mais pesou foi o Estado de São Paulo, que gerou menos de um sexto das vagas de um ano antes e perdeu o posto de maior criador de empregos para Santa Catarina.

Ao todo foram 53.887 novos postos no Estado sulista, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho (MTE) nesta sexta-feira. Enquanto isso, São Paulo abriu 42.553 empregos formais ano passado (em 2013, tinham sido 267.812). Nem a própria Santa Catarina se livrou de uma redução do número de vagas – havia aberto 76.762 postos no período anterior.

Leia mais:

Criação de vagas de trabalho é a pior desde 2002

Ministro do Trabalho prevê demissões este ano em alguns setores

Novas regras deixam mais de 60% dos trabalhadores demitidos sem seguro-desemprego

A redução das vagas abertas em alguns dos principais Estados brasileiros ajuda a explicar o péssimo desempenho nacional. Minas Gerais, por exemplo, teve queda de 88.484 para 15.437 novas vagas. No Rio de Janeiro, que aparece em segundo lugar na lista de maiores empregadores com saldo líquido de 53.586 empregos, a criação de postos de trabalho havia sido quase o dobro (100.808) em 2013.

Alguns Estados aparecem no ranking positivo (mais contratações do que demissões). O Ceará abriu 47.372 (ante 50.206 em 2013); o Paraná, 41.012 (ante 90.349), e Goiás 25.333 (haviam sido 60.831).

Na Bahia, onde 22.008 novos postos de trabalho com carteira assinada foram abertos, o número representa menos da metade do que o visto em 2013 (50.206). No Norte, o Pará registrou um saldo positivo de 17.013 postos, contra 29.616 no ano anterior.

Mas a situação é ainda pior no fim da lista, que traz os Estados onde houve mais demissões que contratações em 2014. Pernambuco teve o pior resultado: saldo negativo de 13.793 postos. Em 2013, tinha sido abertas 28.062 vagas em seu território. O mercado de trabalho também foi ruim para Amazonas (que perdeu 6.027 postos), Alagoas (menos 3.337) e Rondônia (menos 1.853) ano passado. Segundo o Caged do ano imediatamente anterior, o Amazonas havia criado 24.346 postos, enquanto Alagoas e Rondônia já haviam registrado resultado negativo de 1.484 e 3.221.

Vagas de trabalho abertas em 2014 Vagas de trabalho abertas em 2014

Vagas de trabalho abertas em 2014 (/)